Resumo: Quem ganhou, quem perdeu, quem brilhou e quem decepcionou na rodada #30

Palmeiras e Flamengo vencem, aquecem rivalidade e jogam pressão para o Inter; Sport ganha sobrevida na luta contra o rebaixamento

O Palmeiras entrou em um daqueles momentos que costumam caracterizar times campeões: quando joga bem, vence; quando não joga, vence também. A turma de Felipão sofreu para superar o Ceará por 2 a 1 em jogo animado no Pacaembu neste domingo, enquanto o Flamengo passeava contra o Paraná, moribundo, em Curitiba: 4 a 0. Cariocas e paulistas, separadas por quatro pontos, se enfrentam sábado no Maracanã, em jogo que só não tem pinta de final antecipada porque existe o Inter.

Nesta segunda-feira, o time colorado tem jogo duríssimo com o Santos no Beira-Rio e precisa vencer para retomar a segunda colocação, encurtar para três pontos a distância para o Palmeiras e se consolidar no triunvirato da caça ao título – o SporTV transmite para todo o Brasil, menos o RS, que pode assistir pelo Premiere. São Paulo e Grêmio, com empates no sábado, distanciaram-se dos líderes em rodada de renascimento para o Sport, festa para o Cruzeiro, empolgação para o Bahia e esperança para o Fluminense.

Quem ganhou

Amarelo no primeiro minuto, pênalti ignorado e depois marcado, Deyverson expulso ainda no primeiro tempo, Lisca fazendo sinal de roubo para a torcida. Teve de tudo em Palmeiras x Ceará.

Tá vendo lá, Felipão? Flamengo segue perto, e Inter tenta se reaproximar nesta segunda — Foto: Marcos Ribolli
Foto: Marcos Ribolli

O Verdão entrou em campo avoado, foi dominado pelo Ceará no começo e viu a vida melhorar quando Edinho colocou o braço na bola dentro da área. Bruno Henrique, aniversariante do dia, cobrou, fez e se animou a marcar mais um, em chutaço de fora da área.

A vitória parecia encaminhada, mas Deyverson resolveu entrar com a sola no abdômen do adversário – expulso direto. O Ceará se ouriçou, foi para cima e descontou com Arthur. Poderia ter empatado.

Bruno Henrique faz dois gols e comanda vitória do Palmeiras sobre o Ceará — Foto: Marcos Ribolli
Foto: Marcos Ribolli

A nova vitória é mais um passo na caminhada impressionante do Palmeiras. São 15 jogos de invencibilidade no Brasileirão, com 12 vitórias e três empates (a série coincide com a chegada de Felipão como substituto de Roger Machado). O líder do Brasileirão ganhou as últimas cinco partidas e poderia estar mais confortável, não fosse a forte perseguição do Flamengo, que teve quatro vitórias e um empate no período.

Os 4 a 0 sobre o Paraná evidenciaram o crescimento rubro-negro desde a chegada de Dorival Júnior. Vitinho, Paquetá, Willian Arão e Uribe estiveram entre os vários destaques da equipe.

Vitinho se destaca em vitória do Flamengo: um gol e uma assistência — Foto: RODOLFO BUHRER/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: RODOLFO BUHRER/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Fim de semana muito positivo também para:

  • O Fluminense, que bateu o Atlético-MG, atual dono da última vaga para a Libertadores, por 1 a 0. Com isso, diminuiu para seis pontos a distância para o G-6. Dá para sonhar.
  • O Sport, único time do 12º lugar para baixo a vencer na rodada: 2 a 1 sobre o Vasco. A rodada ajudou, e o Leão ficou em condições matemáticas de sair da zona de rebaixamento na próxima rodada. Para quem parecia condenado, não é pouca coisa.
  • O Bahia, que emendou a segunda vitória ao bater o Botafogo no Rioe foi quem mais subiu na tabela nesta rodada: dois postos, do 14º para 12º. Está seis pontos à frente do Z-4, com permanência encaminhada na Série A.
  • O Cruzeiro, que transformou a festa pelo título da Copa do Brasil em vitória tranquila sobre a Chapecoense: 3 a 0.
Só festa: jogadores do Cruzeiro celebram vitória fácil sobre a Chapecoense — Foto: Douglas Magno/BP Filmes
Foto: Douglas Magno/BP Filmes

Atlético-PR, Corinthians e Grêmio, com empates fora de casa, poderiam ter mais motivos para comemorar. Mas o Furacão (0 a 0 com o São Paulo) manteve-se sem vitórias como visitante no Brasileiro, o Timão voltou a jogar pouco (2 a 2 com o Vitória) e o Tricolor (1 a 1 com o América-MG) viu a distância para o líder subir para dez pontos. Para o Corinthians, o alento foi aumentar em um ponto, de quatro para cinco, o afastamento para a zona de rebaixamento.

Quem perdeu

A Língua Portuguesa ainda prega algumas peças no uruguaio Diego Aguirre. No sábado, ele admitiu não saber o que significa “amarelão”, um dos vários xingamentos dirigidos pela torcida do São Paulo ao time depois do empate por 0 a 0 com o Atlético-PR no Morumbi. O Tricolor parou de jogar e agora já está nove pontos longe do Palmeiras. São seis jogos sem vencer, e a missão do momento não é mais brigar pelo título – garantir uma vaga direta na Libertadores parece bem mais realista.

Nenê lamenta mais um jogo sem vitória para o São Paulo no Brasileirão — Foto: Marcos Ribolli
Foto: Marcos Ribolli

A Libertadores também é a questão que preocupa o Atlético-MG. Contra o Fluminense, o Galo perdeu um pênalti, o jogo e a chance de manter algum conforto na sexta colocação, a fronteira da classificação para o torneio continental. Se o Santos vencer o Inter nesta segunda-feira, ficará só um pontinho atrás dos mineiros, que estrearam Levir Culpi (em sua quinta passagem pelo clube).

Para Botafogo e Vasco, derrotados no sábado por Bahia e Sport, as metas são mais mundanas: sobreviver já estará de bom tamanho. Os dois perderam para concorrentes diretos na briga contra a queda.

Menos mal, para eles, que Chapecoense e Ceará também perderam. A Chape, depois de tanta superação, se mostra sem rumo. Foi presa fácil para o Cruzeiro.

A rodada também foi preocupante para o América-MG, que não conseguiu superar um Grêmio descaracterizado e chegou a seis jogos sem vencer, e para o Vitória, que saiu na frente do Corinthians, levou a virada e ao menos conseguiu buscar um empate no finzinho.

Quem brilhou

Na rodada passada, os centroavantes estavam em estado de graça; nesta, os destaques foram mais espalhadas. Bruno Henrique, um volante, foi o único a fazer dois gols. Ele dividiu o protagonismo do fim de semana com jogadores como Vitinho e Uribe, autores de um gol e uma assistência pelo Flamengo, e Arrascaeta, que fez o mesmo pelo Cruzeiro.

Seleção da rodada:

Seleção da rodada 30 do Campeonato Brasileiro — Foto: GloboEsporte.com

Seleção da rodada 30 do Campeonato Brasileiro — Foto: GloboEsporte.com
Foto: GloboEsporte.com

Quem decepcionou

Deyverson quase comprometeu a rodada do Palmeiras. Expulso ainda no primeiro tempo, por entrada violenta em Richardson, o centroavante saiu de campo se desculpando com a torcida, já ciente da bobagem que tinha feito. Com um a menos, o Verdão viu o Ceará descontar e ameaçar empatar no Pacaembu.

Expulso! Deyverson acerta o peito de Richardson e está expulso aos 45 do 1º
Deyverson acerta Richardson e é expulso aos 45 do 1º tempo

Dois lances de pênalti devem ter tirado o sono de Edinho, do Ceará, e Fábio Santos, do Atlético-MG – o primeiro, ao cometer a infração que resultou no primeiro gol do Palmeiras, quando o Vozão era melhor em campo; o segundo, ao mandar na trave e perder a chance de colocar o Galo na frente contra o Fluminense, que acabou vencendo o jogo. Gabriel, do Sport, também perdeu um pênalti, mas no fim do jogo – acabou não fazendo grande diferença.

Fábio Santos cobra pênalti e acerta a trave no começo do 2º tempo
Fábio Santos cobra pênalti e acerta a trave no começo do 2º tempo

Em mais uma rodada ruim para o São Paulo, Diego Aguirre não pode ser acusado de não buscar soluções. Deixou Nenê no banco e apostou em Gonzalo Carneiro (que foi bem), mas não viu Diego Souza assumir o protagonismo que se espera dele. O camisa 9 teve atuação discreta e perdeu boa chance de gol.

Diego Souza se agarra à trave depois de perder boa chance para o São Paulo — Foto: Marcos Ribolli
Diego Souza se agarra à trave depois de perder boa chance para o São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Números e curiosidades

  • Cláudio Winck, lateral-direito do Sport, reforçou a fama de jogador ofensivo. Marcou um para o Leão dentro da área e, sozinho, teve a mesma quantidade de finalizações que todos os colegas de time somados: oito. No gol do Vasco, não conseguiu cortar a bola.
  • Dos primeiros 12 colocados, só um perdeu: o Atlético-MG. Dos oito últimos, só um venceu: o Sport.
  • O time da zona de rebaixamento atacou, o líder se defendeu. O Ceará teve mais posse de bola (60% a 40%) e mais finalizações (20 a 16) do que o Palmeiras no Pacaembu. E não foi por ter um jogador a mais. Já vinha acontecendo antes da expulsão de Deyverson.
  • Faz sete rodadas que é assim: o Fluminense ganha um jogo, perde o seguinte, ganha o próximo, aí volta a perder, aí vence de novo. É regular na irregularidade.

Imagens da rodada

A cada rodada, há de pintar um vídeo de Lisca Doido por aqui. Desta vez, é de bronca. O técnico do Ceará discutiu com o banco do Palmeiras, foi expulso, recebeu xingamentos, ficou encarando a torcida e saiu de campo fazendo gestos de roubo. Detalhe: seu substituto no segundo tempo seria o auxiliar Márcio Hahn, mas não foi possível, já que ele foi… expulso! Mas por um motivo bem mais leve: entrou em campo para dar orientações aos jogadores. É proibido.

Lisca faz gesto de roubo para a torcida do Palmeiras
Lisca faz gesto de roubo para a torcida do Palmeiras

Quem também deu uma surtada foi Yago Pikachu, do Vasco. O jogador se lesionou contra o Sport e foi proibido pelo médico do clube de voltar a campo. Ficou revoltado.

Médico insiste em substituição e Pikachu deixa o jogo revoltado com 18 do 1º Tempo
Médico insiste em substituição e Pikachu deixa o jogo revoltado com 18 do 1º Tempo

Bem mais leve, o Cruzeiro aproveitou o jogo contra a Chapecoense para celebrar o título da Copa do Brasil. Antes da partida, os campeões posaram com a taça no gramado do Independência.

Jogadores do Cruzeiro celebram título da Copa do Brasil no Independência — Foto: Flávio Florido
Jogadores do Cruzeiro celebram título da Copa do Brasil no Independência — Foto: Flávio Florido

E que tal encerrarmos o texto com o golaço do Jadson, do Corinthians? Coisa mais bonita.

Jadson acerta belo chute para o Corinthians no Barradão

Jadson acerta belo chute para o Corinthians no Barradão

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.