Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil

Natural do Mato Grosso do Sul, a atriz Fran Maya, que se destacou com sua personagem Jaque no sucesso mundial “Os Dez Mandamentos”, produzido em 2016 pelo talentoso diretor Alexandre Avancini na Record TV. Hoje buscase aprimorar em suas qualidades como atriz.

Formada na prestigiada Escola de Atores Wolf Maya, a atriz está, atualmente, em uma viagem de conhecimentos por Espanha e Portugal, e lá está bolando novos planos para sua carreira aqui no Brasil.

Vale lembrar que Fran já esteve em sucessos também como “Amor e Intrigas” e “Os Mutantes”, de autoria do autor Thiago Santiago.

O que mudou na sua carreira após “Os Dez Mandamentos”? E que projeção você acha que a novela trouxe?

Ter feito “Os Dez Mandamentos” foi muito importante para a minha carreira, porque abriu muitas portas. Eu já havia feito algumas coisas na televisão, mas foi minha primeira personagem mesmo de uma novela inteira. O ritmo de gravação foi uma experiência que eu nunca tinha vivido. Eu tinha feito teatro antes e as minhas participações na televisão eram muito pequenas. Posso dizer que ter feito a novela foi maravilhoso. Ela fez muito sucesso no Brasil e no exterior, teve uma projeção internacional. Acabou que foi bom, levou as pessoas a me conhecerem fora do Brasil. Em Portugal, na Espanha… fui reconhecida na rua. Fui fazer um passeio turístico e as pessoas me reconheceram. Você fazer um trabalho e mais de um ano depois ele estar dando frutos ainda… Só tenho a agradecer essa primeira oportunidade na televisão, agradecer a Vivian [de Oliveira], a Record e tudo mais.

Ao fim de cada trabalho você costuma fazer um balaço?

Costumo fazer, sim. Tento melhorar os pontos que tenho que melhorar, que tenho que dar mais atenção. Tenho sempre que fazer um balanço para ver como comecei e como terminei aquele trabalho. A pratica vai nos ensinando, então você termina um trabalho muito melhor do que quando você começou, você vai entrando e conseguindo traçar melhor o objetivo do personagem. A rotina de trabalho e a pratica vão levando você a se conhecer melhor como atriz. Eu sempre faço um balaço entre os meus pontos.
Eu sou uma atriz que sempre estuda muito, sempre estou fazendo workshop, buscando novos conhecimentos. Quero sempre me aperfeiçoar. Acho que a gente sempre tem que estar trabalhando, sempre em movimento. As técnicas que eu aprendi, por exemplo, no curso da Espanha, em Madrid, foram incríveis. Eu não tinha visto essas técnicas no Brasil ainda, então eu acho muito válido a estar estudando e buscando a melhora, sempre estar bem preparado para entrar no mercado e para novos desafios.

Como fica sua relação com os colegas de elenco após o termino de cada trabalho?

Eu tenho uma relação muito boa com as pessoas da novela [Os Dez Mandamentos]. Tenho algumas amizades que eu levei para a vida, como as meninas que faziam minhas irmãs, o meu par romântico, as pessoas do meu núcleo que eu tinha mais contato. Fizemos realmente amizades, tivemos troca tanto em cena como na vida. É muito bom e muito gratificante levar novas amizades e manter esse contato, porque tudo é um ciclo. A gente se encontra, passa um tempo e se encontra novamente. Fica aí uma relação de carinho, de amizade e de amor. São pessoas que passaram em minha vida e só somaram.

Da atriz que atuou em “Amor & Intrigas” para a Fran de hoje, o que mudou?

Sou uma pessoa que topa muitos desafios, acho que tudo que me desafia, que causa aquele frio na barriga, me dá brilho nos olhos. Gosto de estar em movimento, sou uma pessoa que estuda muito. Acho que estou em um processo de me mostrar uma pouco mais, mostrar mais a Fran, até nas minhas redes sociais, porque eu sou um pouco tímida, não parece, mas sou, então, estou trabalhando para mudar um pouco isso.

Como você define Fran Maya?

Sou uma pessoa persistente, me acho uma pessoa até fácil de se adaptar. Essa viagem até me fez ver muito isso, me adaptar ao que estou vivendo naquele momento. Sou uma pessoa que não desisto do que quer, que persiste, estuda e as vezes um pouco impaciente. Eu confesso, mas faz parte. Me considero focada em conquistar os meus objetivos e sonhos e não desisto disso.

Recentemente, como citado anteriormente, você esteve na Europa em uma escola de dramaturgia por onde já passaram Camila Pitanga, Giovanna Antonelli e várias outras. Como foi o processo?

Ele foi de suma importância, porque eu aprendi uma técnica de interpretação que não tinha visto no Brasil. Para eu, fazer um curso em outro idioma foi mais incrível ainda, um desafio maior, já que não domínio a língua, e até falo hoje. Mas você lidar com pessoas de cultura e costumes diferentes é uma grande aventura, e eu era a única brasileira lá. Foi legal mesmo essa troca. Acho que todo ator tinha que ter a oportunidade de fazer um curso assim, de estudar em outro país. Foi uma experiência maravilhosa, transformadora como artista e como atriz. Eu estou louca para voltar ao Brasil e poder entrar em um novo projeto que eu estou pensando aí, poder colocar em pratica tudo que aprendi. Estudar fora foi o primeiro [projeto], foi aquele desafio, aquela borboleta no estômago, sabe? Enquanto elas estão lá, está valendo a pena.

Como está seu lado atriz atualmente? Algum projeto?

Quanto aos planos, eles existem, sim! Até comecei a escrever, porque eu tive um coach uma vez, o André Monteiro, e ele sempre disse que eu tinha talento para escrever. Eu não achava que tinha, mas como estou passando um tempo em Lisboa, comecei a fazer alguns textos, e acabei criando um projeto com minha amiga, que fez o Wolf Maya [escola de teatro] comigo. Quando eu voltar, vamos colocá-lo em pratica, vamos montar uma peça de teatro e vou escrever o texto. Acho que essa viagem me aflorou e me deixou mais sensível.

Fale sobre suas inspirações

Uma atriz brasileira que eu amo, que foi minha inspiração para começar minha carreira foi a Regina Duarte. Eu tinha cinco anos de idade quando assisti “Rainha da Sucata” (1990) e me apaixonei, falei que queria ser igual ela. A partir dali tive muita vontade de ser atriz. Quero muito ainda poder trabalhar com ela, poder viver esse privilégio de estar com ela em cena. É uma pessoa que eu admiro muito, acompanho muito. Internacional eu gosto muito da Meryl Streep. Gosto muito dela, estudei, vi vários filmes dela para fazer, para seguir um pouco da interpretação da Jaque [Os Dez Mandamentos]. Acho que essas atrizes assim consagradas são sempre inspiração, sempre temos que buscar inspirações e estar aprendendo, estar acompanhando o trabalho dessas atrizes que estão aí, sabe?! Autores que eu quero trabalhar ainda, que quero muito ter esse privilégio é a Glória Perez. Amo os trabalhos e as novelas que ela escreve. João Emanuel Carneiro e Walcyr Carrasco também. São os três autores que eu quero muito poder trabalhar ainda. Agora vou buscar, né, continuar lutando para conquistar os meus sonhos e chegar e vir a fazer novela ou séries deles.

Como você esperar estar daqui 10 anos?

Em 10 anos, eu quero ter trabalhado bastante (risos), quero ter filhos, ser feliz, poder levar uma mensagem de amor, uma mensagem bacana para as pessoas que acompanham minha arte. Quero estar realizada!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.