Vídeo sobre Waack vazou de dentro da Globo e punição é sem volta

O vídeo que estremeceu a carreira de William Waack como um dos mais repeitados âncoras da Globo veio de dentro da própria emissora em São Paulo. O fatídico dia de quarta-feira, dia 08, terminou com a suspensão de suas funções no “Jornal da Globo”, e executivos avaliam que a punição do jornalista não tem volta, algo que está sendo comemorado nos bastidores da redação. Informações do jornalista Daniel Castro.

As imagens amadoras foram gravadas no dia 8 de novembro de 2016, há exatamente um ano. Naquela data, Waack estava nos Estados Unidos cobrindo as eleições presidenciais do país e se preparava para um link ao vivo ao lado do de Paulo Sotero. Os dois falariam dos resultados obtidos até então na corrida pela Casa Branca. O áudio é ruim pois não veio do microfone do jornalista, mas sim do sistema de intercomunicação entre São Paulo e Washington.

O que causou toda a polêmica foi uma declaração que demonstrou a irritação de William Waack depois que um motorista passou buzinando. “Está buzinando por que, seu merda do cacete?”, reclama. Virando-se para Paulo,  ele diz saber de quem se tratava o autor da buzinada. “Deve ser um, com certeza, não vou nem falar de quem, eu sei quem é. Sabe o que é?”, diz. Em trecho quase que inaudível, mas apontado pelos que já viram o vídeo como o comentário racista, Waack diz “Preto, né? É coisa de preto com certeza”.

Sotero estava visivelmente confuso, mas concordou com a declaração do amigo jornalista e os dois riram em seguida. Em nota, a Globo diz que seu âncora não se lembra do acontecido, mas que pede sinceras desculpas por qualquer declaração. 

Nos bastidores de São Paulo, os colegas de redação estão num misto de perplexidade e comemoração. Os que estão felizes com a punição argumentam que Waack sempre foi arrogante, mas alguns o defenderam dizendo que sua qualificação está sendo sacrificada.

Os próximos passos de seu futuro na Globo começam a ser discutidos hoje (09). Os executivos já dizem que a edição do “Jornal da Globo” de terça-feira, dia 07, foi a última dele. Além disso, não faltam potenciais suspeitos pelo vazamento do vídeo, que começou a circular em grupos de jornalistas de TV no WhatsApp, mas vazado para as redes sociais de perfis públicos.

Os argumentos da suspensão definitiva do jornalista foram reforçados depois que Renata Lo Prete, chamada às pressas para a edição de quarta-feira (08), leu a íntegra da nota divulgada pela Globo onde repudia qualquer ato racista. É um claro recado de que a emissora não vai arcar com declarações ou atos de seus profissionais que sejam contra o que é defendido pela empresa.

José Mayer, ator do primeiro escalão, está suspendo há tempos depois que um caso de assédio nos bastidores do Projac se tornou público. Atrizes estariam fugindo de qualquer trabalho que as coloquem no mesmo estúdio e cena que Mayer.

Recomendamos:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.