Natalie Smith fala de trajetória dos 19 anos até os dias de hoje

Atriz é destaque na web série "A Melhor Amiga da Noiva" e se prepara para "Revoltz".

Artista nata, conhecida e querida no cenário cultural carioca, com extenso currículo construído em diversos pontos marcantes em sua vida, fazendo um ciclo de saída do Rio de Janeiro aos 4 anos, cursando os mais diversos cursos entre o Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Natalie Smith retornando à cidade maravilhosa aos 19 anos e falou com exclusividade ao Registro POP.

São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro… Como foi para você passar por toda essa mudança?
Eu morei no Rio de Janeiro até os 4 anos e desde que fui para o Rio Grande do Sul eu queria voltar para o Rio, porque era aqui que tinha teatro, morava muito no interior, tinha coisas de arte lá, cheguei a fazer escola. Estudei um tempo em Porto Alegre, fiz escolas de teatro, mais sempre quis morar no Rio, com 19 anos vim para cá, mais foi muito complicado minha mudança, porque no início eu tive mais trabalhar do que estudar. Com 20 anos eu decidi que só ia estudar, então foquei nos estudos, hoje estou com 25 anos e lógico que quero continuar estudando para sempre, mais hoje já me sinto mais preparada para trabalhar, ter uma vida no teatro e já dizer que sou atriz.

Além de alguns projetos feitos no teatro, você é bem ativa no mundo das webs séries, tendo feito trabalhos como “A Melhor Amiga da Noiva” e “100 Limites”. Você acredita que esse tipo de projeto na internet, consegue te render mais do que o teatro ou a televisão?
Eu na verdade sou apaixonado por todos os projetos independentes, então o teatro me satisfaz de uma forma incrível, porque eu trabalho desde a produção até o palco, e eu sou apaixonado por teatro, foi minha primeira paixão desde pequena. Entrei nesse mundo de webs series e de cinema muito pouco tempo, algo que eu não tinha muito contato. Mais meu maior contato sempre foi com o teatro, meu contato com as câmeras foi com as webs series a princípio. Então não é uma questão nem de me render mais, mais hoje em dia o cinema me atrai muito, eu assisto um filme e fico pensando nos planos, nos takes, na fotografia. Não assisto pela história, assisto muito mais tecnicamente, e eu sabia que um dia isso ia acontecer, porque tinha um professor de cinema que falava muito isso, que ele assistia filme olhando toda a parte técnica e esqueci completamente da história. Então acho que o teatro me alimenta muito naquela hora, mais ter algo no cinema gravado para você poder assistir, mostrar para as pessoas é incrível.

Qual é a principal diferença na hora de atuar no teatro e na internet? Já pensou em pegar essa experiência sua e tentar começar seu próprio trabalho como digital influencer?
Na verdade, não tem tanta diferença, acho que a interpretação é igual, mais é a mesma questão de corpo delatado, de voz, que nas series a gente consegue fazer algo mais psicológico, mais no olhar… no teatro, quanto mais expandido melhor. Agora com a interpretação para mim é tem que ser verdadeiro da mesma forma, tem que ser real, tem que ser natural. E eu não penso em ter nada assim no YouTube, a não ser que seja um projeto voltado apenas para interpretação, e que envolva atuação no meu trabalho como atriz, nunca pensei em fazer algo assim por divertimento ou por lazer. Acho que meu negócio é mais na atuação mesmo.

De onde e como veio a ideia de ser atriz na sua vida?
Absolutamente desde pequena. Fui ao teatro pelas primeiras vezes foi com meu dindo e com minha dinda, que são atores até hoje, e a minha família sempre amou. Meu irmão é cantor, minha irmã é bailarina, trabalham com outras coisas também, mais minha família sempre foi muito artística. São pessoas que trabalham com o ser humano, então desde o momento que falei que queria ser atriz, eles amaram, aceitaram e sempre me apoiaram demais. Tenho certeza que se não fosse o apoio da minha família, eu com certeza não estaria aqui hoje, porque é muito difícil, principalmente financeiramente falando, então o apoio que eles me dão além de todo o apoio de força mesmo, o financeiro é fundamental. Se não fosse meus pais com certeza não estaria nem morando aqui no Rio mais, porque a vida é muito mais cara que minha vida era no interior. Só tenho a agradecer mesmo a família, por todo o amor. Um beijo família! (risos)

Qual é a maior dificuldade de seguir a carreira de ator?
O maior problema além do financeiro que a maioria já sabe, é psicológico, o ator lida com a alma, com excesso de pensamentos, decisões e serem tomadas, é um trabalho duro e que tem que ser realizado diariamente. Meus amigos, na maior parte, são graças a minha profissão, então isso é uma interferência boa, não vivo sem os dois, então estão ligados completamente.

O que você acha que mais mudou em você desde que começou a correr atrás da carreira?
Meu comportamento é o mesmo, sempre fui muito otimista, positiva e não desisto sem alcançar meus objetivos, me sinto madura e encaro como um trabalho, não mais como um sonho, acho que essa foi a maior diferença nos últimos anos, quando deixei de ver apenas como um sonho de criança e adolescente e passei a encarar como meu ofício, como tudo que mais amo, e a única dica é que não desistam, por mais difícil que pareça, se você ama de verdade, cada detalhe, cada esforço vai valer a pena.

Recomendamos:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.