Lívian Aragão fala sobre como é atuar com o pai: “uma grande honra”

.

Lívian voltou aos cinemas esse ano em "Os Saltimbancos Trapalhões".

Tendo iniciado sua trajetória como atriz com apenas 8 meses de vida, Lívian Aragão, filha do ícone do humor brasileiro Renato Aragão, teve seu primeiro trabalho em 1999, quando viveu a filha de Adriana Esteves no longa “O Trapalhão e a Luz Azul”.

Já aos quatro anos de idade, começou a realizar pequenas aparições como figurante na “Turma do Didi”, além de participar do filme “Didi, o Cupido Trapalhão”. Em 2004 fez uma participação no longa “Didi Quer Ser Criança” e, em 2005, foi Belinha em “Didi, o Caçador de Tesouros”. Em 2006 brilhou como a querida Princesa Livy em “O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili”, contracenando mais uma vez ao lado do seu pai.

Em 2007, Lívian finalmente conseguiu sua estreia na televisão durante o especial “O Segredo da Princesa Lili”.

Em 2008 fez o filme “O Guerreiro Didi e a Ninja Lili”. Logo no próximo ano, realizou seu primeiro papel de destaque na televisão em “Acampamento de Férias”. Passou ainda por outros especiais, incluindo “Uma Noite no Castelo”, “A Princesa e o Vagabundo” e em “Nosso Querido Trapalhão” em 2010.

Em 2011 retornou para gravar a segunda temporada de “Acampamento de Férias”. Dois anos depois, conseguiu sua primeira novela, “Flor do Caribe”, onde viveu Marizé da Silva. No mesmo ano participou do documentário “Via Sacra do Jovem Solidário”.

Em 2015 passou a interpretar Julia em “Malhação – Seu Lugar no Mundo” do diretor Leonardo Nogueira.

Filha de um dos humoristas mais amados do Brasil. Diria que o reconhecimento do seu pai sendo vinculado ao seu, traz certa pressão para a construção da sua carreira?

Existe uma certa cobrança das pessoas por elas gostarem muito do meu pai, e querem que eu seja “como ele”. Mas, não deixo essa pressão me abater porque, por mais que ele seja meu pai, somos pessoas diferentes, construímos nossos caminhos diferentes e isso já me tranquiliza porque não sou obrigada a ser tão engraçada quanto ele, por exemplo. Eu sigo minha carreira de atriz da melhor forma que eu posso, e seguimos caminhos diferentes por mais que seguimos a mesma carreira.

Como e quando foi que você decidiu que iria querer levar a arte pra sua vida como profissão?

Eu decidi ser atriz já bem pequena, nem lembro da idade. Só sei que eu, por ser muito curiosa desde sempre, quando era pequena, queria entender o que eram as câmeras, estar do lado do meu pai nas gravações… e por acompanhar ele, eu acabei pedindo uma chance pra atuar, e ele disse que eu poderia fazer uma participação, contanto que eu estudasse. E foi assim que comecei. Estudo teatro desde pequena e trabalhando.

Tendo ficado um bom tempo afastada dos cinemas e voltando agora em “Os Saltimbancos Trapalhões”. Como foi retornar as telonas? É ainda mais trazendo de volta esse grande fenômeno?

Foi uma honra ter participado do filme “Os Saltimbancos Trapalhões”, essa nova versão. Eu amava o filme antigo, e agora voltar para o cinema, com o meu pai, e fazendo parte desse filme, já me sinto realizada. Foi um grande marco na minha vida e fico muito feliz toda vez que lembro que fiz parte desse longa.

Fluente no inglês e com experiências em cursos de teatro e televisão fora do Brasil. Pensa em um dia seguir carreira internacional?

Já pensei em investir na carreira internacional. Estudo inglês desde pequena, acho que seria uma ótima ideia fazer outros cursos lá fora, e quem sabe um dia conseguir um filme, serie, não sei, alguma coisa lá.

(Foto: Divulgação / Assessoria)

Tendo atuado diversas vezes em projetos ao lado do seu pai. Como é ter o próprio pai como colega de cena? O clima nos sets de filmagem continua o mesmo de pai e filha ou no trabalho as coisas mudam?

Trabalhar com o meu pai é, e sempre vai ser, uma grande honra. Eu sou filha, mas sou fã. O set de gravação com ele, é outro. Ele traz uma energia surreal pro set. Não tem uma pessoa que não fique feliz lá… E essa é a coisa mais linda que já vi. As pessoas ficam felizes e o trabalho rende ainda mais até porque ser profissional não quer dizer ficar sério. Eu e meu pai somos muito profissionais no set. Ali, cada um sabe o que tem pra fazer, seus focos, prioridades… mas o amor nunca é deixado de lado. Eu amo trabalhar em outros produtos, com outras pessoas, mas vou sempre amar trabalhar com o meu pai.

Na carreira desde 1999. Hoje você já pensa em quer seguir outros caminhos na vida?

Quando a gente é pequeno, a gente quer ser milhões de coisas. Eu já pensei em ser todas as profissões possíveis, e atriz… mas depois que a fixa caiu quando entendi que, sendo atriz eu podia ser todas as pessoas e todas as profissões em uma vida só, eu nunca mais pensei em outra coisa! hahah

Como você se define como pessoa? (Lívian por Lívian)

Sou feliz. Acho que se você ama o que faz, é feliz com quem você é, tudo fica melhor. Sou muito grata pela vida que tenho e pelo que a vida me ensinou… e hoje em dia, me defino como FELIZ.

Como é a sua relação com seus fãs? Que significado eles têm hoje na sua vida?

Meus fãs são minha família. Eu sempre quero contar todas as minhas novidades primeiro pra eles, depois pros sites, revistas, enfim… eles realmente são parte de mim. Se não fosse por eles, eu não estaria aqui. Toda a energia positiva que eles mandam, eu recebo com muito amor. Eles são incríveis.

Quando não está trabalhando, quais são seus passatempos favoritos?

Quando não estou trabalhando, amo pintar, escrever, ler, desenhar… gosto de correr, jogar futebol, volei… Gosto de fazer de tudo um pouco.

 

Deixe um comentário