Filmes nacionais batem recorde de arrecadação em 2016

. Na foto, a três maiores bilheterias do cinema nacional de 2016 (Montagem: Registro Pop)

A gente sabe que 2016 não foi fácil para o Brasil em relação a economia, política e ao lado social. Entretanto, tem um setor com muitos motivos para comemorar – o cinema. De acordo com dados do portal Filme B, os filmes brasileiros fizeram história no ano que terminou.

Com destaque para “Os Dez Mandamentos – O Filme”, “Até que a sorte nos Separe 3” no finalzinho de 2015 que adentrou em 2016, até chegar em “Minha Mãe é uma Peça 2” em dezembro. Ano passado, vendeu-se 30,1 milhões de ingressos e cerca 354,8 milhões de reais foram arrecadados, números que superam a marca alcançada em 2013. Tais números nunca foram registrados pelo cinema nacional desde a Retomada, período conhecido pelo retorno do investimento no cinema nacional em 1995 em razão de políticas neoliberais do governo FHC.

A versão compactada da novela da Record TV não foi apenas líder em 2016, ao atrair 11,2 milhões de espectadores, mas também superou “Tropa de Elite 2” que detinha o pódio da maior arrecadação de todos os tempos. Em segundo lugar, aparece “Minha Mãe é uma Peça 2” que mesmo lançado no último mês do ano e enfrentar um período normalmente sóbrio do mercado cinematográfico brasileiro, levou 2.8 milhões de pessoas ao cinema.

Ainda segundo o Filme B, 2016 teve a consolidação do chamado “filme médio” que são aqueles que atraem entre 100 mil e um milhão de espectadores, como “Mais Forte que o Mundo”, “Reza a Lenda” e “Em Nome da Lei” que fogem do lucrativo gênero da comédia. A diversidade também foi uma aposta certeira no ano passado visto que o mercado tratou bem os religiosos, infantis, juvenis, dramas, cine-biografias e premiados, o caso de “Aquarius”.

Na foto, o ranking do cinema nacional de 2016 do Filme B (Crédito: Filme B)
Deixe um comentário