Entrevista – Registro POP http://registropop.com.br Celebridades, televisão, cinema, música e mais Thu, 14 Jun 2018 02:12:23 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.6 http://registropop.com.br/wp-content/uploads/2017/01/cropped-Favicon-32x32.png Entrevista – Registro POP http://registropop.com.br 32 32 Carolina Stofella relembra passos da carreira http://registropop.com.br/carolina-stofella-relembra-passos-da-carreira/ http://registropop.com.br/carolina-stofella-relembra-passos-da-carreira/#respond Fri, 04 May 2018 00:30:24 +0000 http://registropop.com.br/?p=23769

Formada em 2000 pela Casa de Artes Laranjeiras (CAL), uma das escolas de artes mais prestigiadas do Rio de Janeiro, a atriz catarinense Carolina Stofella, vêm ganhando cada vez mais espaço e reconhecimento no teatro. Presente em peças que encantam o público como “O Livro da Júlia” na Argentina e “Viagem ao Centro da Terra”, […]

O post Carolina Stofella relembra passos da carreira apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Formada em 2000 pela Casa de Artes Laranjeiras (CAL), uma das escolas de artes mais prestigiadas do Rio de Janeiro, a atriz catarinense Carolina Stofella, vêm ganhando cada vez mais espaço e reconhecimento no teatro. Presente em peças que encantam o público como “O Livro da Júlia” na Argentina e “Viagem ao Centro da Terra”, espetáculo que recebeu o Prêmio Shell pela sua apresentação e montagem.

No cinema, Stofella atuou nos filmes “Talvez”,  “Pelas Minhas Própria Mãos” do diretor Felipe Sassi, e ainda em “Histórias Íntimas de Júlio Lellis”, longa vencedor do Festival de Cinema do Rio (CUBO) e também na categoria de melhor documentário de drama no Los Angeles Brazilian Film Festival.

Quando foi que a arte começou a ganhar espaço na sua vida?

A arte sempre fez parte da minha vida de várias formas. Eu sempre amei dançar. Costumava ir bastante ao teatro quando criança e era sócia assídua da locadora de filmes. Vivia no cinema. Queria muito fazer parte daquilo.

O que a fez escolher estudar turismo na faculdade?

Queria ir para o Rio estudar teatro, mas tinha um “acordo” com a minha família de que deveria ser formada, também, em outro curso. Escolhi Turismo porque, de certa forma, lida com o sonho das pessoas. Acho importante incentivar e ajudar os outros a realizarem seus sonhos. Acredito que acordamos todos os dias para isso. Pelo menos é o que me move. Mais tarde fiz, também, um MBA em Marketing na FGV. Gosto de estudar.

Como foi sua estreia com o espetáculo “O Livro de Júlia”?

Eu ainda estava na CAL (Casa das Artes de Laranjeiras) estudando quando recebi a indicação para fazer parte do elenco deste espetáculo. Foi um presente. Tinha acabado de chegar de Florianópolis. Fiquei muito feliz com aquela oportunidade. Foi lindo estrear num Festival Internacional, na Argentina. Convivemos e assistimos espetáculos de companhias de vários países. Uma experiência que guardo com carinho.

Foto: Reprodução/Instagram

Qual foi a parte mais difícil em estrear pela primeira vez no cinema em “Talvez”?
Eu já tinha feito um curta no Rio há alguns anos. Não posso dizer que foi difícil. O Felipe Sassi é um diretor muito cuidadoso e atencioso com o elenco. Entrei no set sabendo exatamente o que ele queria. As cenas exigiam improviso, o que foi um desafio, mas assim que é bom, né? Nossa parceria deu tão certo que um tempo depois filmamos o curta “Pelas minhas próprias mãos” e temos outros projetos juntos em mente. Fazer cinema é mágico. Tem um outro tempo, uma delicadeza e um cuidado que me fascinam. Sou apaixonada. Quero fazer mais.

Como foi contracenar com Leandro Hassum em “Endependência”?

Uma delícia. Tenho a maior admiração por ele. Leandro é um gigante e um ótimo parceiro de palco e camarim. Lembro que muitas vezes ele improvisava por “horas” e eu me pegava só assistindo o Hassum em cena. Um mestre na comédia; e mestres nós observamos e aprendemos com eles.

Quais são os prós e os contras da vida de uma atriz?
Eu faço o que amo. Não gostaria de estar em outro lugar. Sou muito feliz e realizada. Claro que tem o ônus, como em toda profissão, acho que na minha é a instabilidade que enfrentamos e essa falta de incentivo à cultura. Temos tantos projetos que muitas vezes não saem do papel. É triste.

Foto: Reprodução/Instagram

Como foi ver “Viagem ao Centro da Terra” receber o Prêmio Shell em 2001?
Foi um prêmio especial de montagem. Ficamos todos orgulhosos. Esse espetáculo foi incrível. Uma honra ter feito parte de algo tão grandioso. Tinha uma estrutura e logística absurdas. O público chegava no galpão, que ficava na Praça Mauá, num ônubus que saía do MAM. Nós atores participamos de todas as etapas do projeto, inclusive ajudamos na montagem dos túneis e cenários.

Como está sendo a temporada atual de “A Banheira” em São Paulo?
Fiz “A Banheira” durante sete meses. Saí para fazer outros dois espetáculos e em janeiro deste ano voltei para a temporada no Ruth Escobar. “A Banheira” fala de aceitação e respeito pelo outro de uma forma leve. O público gosta muito e se diverte.
Minha personagem, a Karla, tem um tom acima. É engraçada e tem uma certa ingenuidade. Ela é livre de julgamento. Vai deixando as coisas acontecerem. Eu me divirto em cena e estou bem feliz.

Foto: Reprodução/Instagram

Acredita que sua habilidade no ballet lhe deu algum apoio no teatro?
Claro. Acredito que o ator deve ter domínio sobre o seu corpo, que é o seu instrumento de trabalho. Além disso, o Ballet me exigiu disciplina, foco, persistência e muita vontade de superação. Um pacotinho que levarei pra vida toda.

Deixe uma mensagem.
Nesse tempo de intolerância que estamos vivendo só consigo pensar em falar em respeito. Vamos ser felizes e deixar que os outros sejam também. Cada um do seu jeito.

O post Carolina Stofella relembra passos da carreira apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/carolina-stofella-relembra-passos-da-carreira/feed/ 0
Flávia Pavanelli fala sobre preparativos para “As Aventuras de Poliana” http://registropop.com.br/flavia-pavanelli-fala-sobre-preparativos-para-as-aventuras-de-poliana/ http://registropop.com.br/flavia-pavanelli-fala-sobre-preparativos-para-as-aventuras-de-poliana/#respond Tue, 17 Apr 2018 22:19:58 +0000 http://registropop.com.br/?p=22332

Com origem na rede social “Ask”, onde os usuários podem receber e responder perguntas, a hoje atriz, modelo e youtuber, Flávia Pavanelli se prepara para encarar um novo capitulo na sua vida. Em sua primeira produção no SBT, ela estreará em maio como a personagem Brenda em “As Aventuras de Poliana”, onde dividirá cenas com Larissa Manoela […]

O post Flávia Pavanelli fala sobre preparativos para “As Aventuras de Poliana” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Com origem na rede social “Ask”, onde os usuários podem receber e responder perguntas, a hoje atriz, modelo e youtuber, Flávia Pavanelli se prepara para encarar um novo capitulo na sua vida.

Em sua primeira produção no SBT, ela estreará em maio como a personagem Brenda em “As Aventuras de Poliana”, onde dividirá cenas com Larissa Manoela e João Guilherme.

Nesta entrevista, Pavanelli conta um pouco sobre seu começo na carreira e como estão os preparativos para a novela.

Como foi seu começo como youtuber?

Na verdade, tudo começou com aquela rede social que se chamava Ask. Eu comecei a usar, fazer uns vídeos…aí um dia eu acordei e tinha muita pergunta por lá. Meu facebook começou a crescer naquela época de assinantes. Aí no Facebook eu comecei a divulgar meu Instagram e Youtube. E não, eu não esperava tanto sucesso.

Como andam os preparativos para estrelar na nova novela do SBT “As Aventuras de Poliana”? Como está sendo enfrentar esse novo desafio na carreira?

A minha ficha está caindo ainda. Não sei nem explicar como foi gravar as primeiras cenas, como foi interpretar a Brenda… é bem aquilo de não cair a ficha da gente, não conseguir explicar tudo o que sentiu. Aquela adrenalina, aquela sensação gostosa, o prazer de estar vivendo um sonho, mais uma realização. Eu quero dizer que estou muito feliz. Vocês não têm ideia do quanto eu sou grata a cada oportunidade. Estou com o coração cheio de amor, muito feliz.

Foto: Divulgação

Dos vídeos no YouTube para as emissoras de televisão. Foi complicada essa transição de uma experiência para outra?

Minha entrada na televisão foi pelas redes sociais. Programas, participações…as pessoas entravam em contato e me convidavam. Mas, para a novela, eu fiz o teste, como uma pessoa normal. Atuar é bem diferente de gravar vídeos para o canal, mas estou estudando bastante.

Como é trabalhar com Larissa Manoela na nova novela?

Eu já conhecia a Lari e o João Guilherme. O elenco está se tornando uma família ali. A Larissa está me ajudando bastante nesse começo, em relação a decorar texto e tem me dado vários toques que são essenciais.

Foto: Divulgação

Você teve uma passagem em 2016 pela Globo, agora no SBT se sente mais preparada para as surpresas?

É sempre um aprendizado. Eu acho que essa carreira de atriz demanda tempo e estou muito feliz. Fico feliz com o convite para a novela, assim como gostei e aproveitei bastante de ter participado dos programas nas diversas emissoras. Eu venho estudando e trabalhando há muitos meses.

Qual o maior desafio de manter uma carreira de atriz? Existe alguma dica em especial?

Nesse início, além de viver o desafio de atuar pela primeira vez na TV, eu irei dançar e cantar nas cenas. É totalmente diferente do meu mundo, vai ser um desafio imenso que estou começando do zero, mas muito feliz. Está sendo uma grande oportunidade.

Foto: Divulgação

Voltando a internet, o que fez você querer abordar a beleza como tema de seus conteúdos?

Eu sempre gostei de me cuidar. Modelo desde os seis anos… Como boa parte das meninas que me escrevem pedem dicas, gostam de saber do meu cotidiano, o que uso, senti que seria bacana falar também sobre moda e beleza.

O que a fez escrever o livro “S.O.S Amor: Para Apaixonadas (ou Desesperadas)”?

Quando percebi que boa parte das garotas que me escrevem nas redes sociais pedem conselhos amorosos, senti a necessidade de conversar mais de perto com essas meninas que, assim como eu, estão descobrindo e vivendo seus primeiros relacionamentos. Tenho certeza de que temos muitas coisas em comum, e é por isso que acreditei que compartilhando um pouquinho das minhas experiências poderia ajudar as meninas nos assuntos complicados do coração.

Foto: Divulgação

Deixe uma mensagem.

Tudo o que vocês forem fazer na vida, acreditem que é possível. Só basta a gente querer e ir atrás. Se a gente não faz mal a ninguém, se a gente tá sempre tentando ser uma pessoa melhor a cada dia, transbordando amor e trazendo coisas boas para as pessoas, eu te garanto que não tem como dar errado. Confia em você, na sua fé, no que você acredita, porque você pode fazer tudo o que você quiser.

O post Flávia Pavanelli fala sobre preparativos para “As Aventuras de Poliana” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/flavia-pavanelli-fala-sobre-preparativos-para-as-aventuras-de-poliana/feed/ 0
Camila Travaglini diz que pretende dar continuidade a carreira de atriz http://registropop.com.br/camila-travaglini-diz-que-pretende-dar-continuidade-a-carreira-de-atriz/ http://registropop.com.br/camila-travaglini-diz-que-pretende-dar-continuidade-a-carreira-de-atriz/#respond Sat, 17 Mar 2018 23:39:28 +0000 http://registropop.com.br/?p=20425

Dona de uma beleza estrondeante, a modelo paulista Camila Taravaglini viu a carreira deslanchar ao ser reconhecida como sósia de Gisele Bündchen durante uma campanha para a Pantene. Apesar do amor pela moda, o esporte e os estudos também fizeram parte de sua vida. Com o futebol na família representado pelo seu tio, o treinador Mário Travaglini, ela foi incentivada […]

O post Camila Travaglini diz que pretende dar continuidade a carreira de atriz apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Dona de uma beleza estrondeante, a modelo paulista Camila Taravaglini viu a carreira deslanchar ao ser reconhecida como sósia de Gisele Bündchen durante uma campanha para a Pantene. Apesar do amor pela moda, o esporte e os estudos também fizeram parte de sua vida.

Com o futebol na família representado pelo seu tio, o treinador Mário Travaglini, ela foi incentivada a se dedicar ao esporte ainda no início da adolescência. Aos 12 anos começou a jogar no time oficial de Osasco na categoria juvenil e só parou aos 17, quando o sonho de modelar profissionalmente falou mais alto.
Em entrevista ao colunista ao Registro POP através do colunista Luca Moreira, a artista contou sua história mais abertamente para o público e falou um pouco mais sobre seu início e principalmente sobre como é a responsabilidade de ser comparada à Gisele.

Como é ser considerada sósia da Gisele Bündchen? É uma grande responsabilidade?
Sim, muita! Ela é um ícone mundial. É uma honra para mim ser considerada sósia dela. Acho engraçado quando as pessoas me abordam pensando que sou ela. Levo numa boa!

Quando foi que o desejo de seguir a carreira de modelo começou?
Desde pequenininha. Meu primeiro book fotográfico foi quando eu tinha 7 anos! Sempre via as crianças na TV e nas revistas e dizia para minha mãe que eu queria também.

Foto: E3 Fotografia

Quais cuidados costuma manter com o seu corpo? Como é sua rotina de exercícios?
Bom vamos lá (risos), faço musculação com personal no mínimo 3 vezes por semana. Quando consigo tempo faço mais vezes, tem vezes que só dou folga no domingo! Tento todo dia fazer pelo menos 1 hora de aeróbico. Também faço aulas de boxe e estou iniciando o Yoga. Fora isso me cuido em uma clínica de estética e faço procedimentos como drenagem linfática, massagem modeladora, etc. Também tento me alimentar o mais saudável possível. Mas tiro uma folga de 1 refeição na semana, porque também não sou de ferro né (risos).

Como é sua relação com o esporte?
Desde sempre tive muito incentivo ao esporte em casa. Meu tio foi um grande técnico de futebol. Comecei a jogar vôlei com 10 anos no time profissional de Osasco que na época era o BCN Osasco e cheguei até a categoria juvenil. Eu adorava! Mas tive que optar por um ou outro e fiquei com a carreira de modelo!

De jogadora de voley do Osasco para o trabalho de modelo, como foi esse trajeto?
Desde que fiz meu primeiro material fotográfico eu sempre estava fazendo alguma coisinha na área. Bem pouco, pois, meu pai era contra. Acabei entrando no Voley por acaso em uma seletiva que teve na escola em que eu estudava. Mas nunca deixei de lado o sonho de ser modelo. Com o tempo fui crescendo e começaram a aparecer mais trabalhos. E foi aí que eu desisti do voley pra me dedicar a minha futura carreira (risos).

Além da faculdade de publicidade e propaganda, o curso de artes cênicas também entrou para o seu currículo. Pretende seguir também a carreira de atriz?
Na verdade, antes de publicidade fiz 1 ano de psicologia. Mas não me identifiquei muito e tranquei. Depois fiz publicidade e em seguida teatro. Atualmente voltei a estudar teatro para melhorar como profissional, pois, pretendo sim dar continuidade a essa carreira, inclusive já estão aparecendo propostas. Estou fazendo um curso de tv e cinema com a Fátima Toledo, um de coragem emocional também e no fim desse mês começo um curso na Célia Helena.

Como foi trabalhar ao lado de profissionais como Jacques Dequeker, Gustavo Arrais e Manuel Nogueira?

Poxa! Super bacana né! Fico sempre muito ansiosa um dia antes, pois, é uma responsabilidade trabalhar com os gigantes do meio da moda (risos). Morro de medo de não corresponder às expectativas.

Sobre o sonho de criar uma ONG, existe algum projeto?
Nossa esse é meu maior sonho. Tenho 5 gatos todos adotados da rua e semana passada atropelaram na frente da casa da minha amiga um gatinho bebe de 4 meses. O pobrezinho quebrou o quadril. Pronto né lá fui eu. Ele foi internado e teve alta essa semana e está se recuperando em casa! Fico muito mal de ver os bichinhos na rua sofrendo maus tratos, passando fome, frio, sede, medo… se pudesse pegaria todos, mas não tem como né. Já tirei alguns da rua, reabilitei, castrei e consegui doar, mas é difícil. As pessoas têm muito preconceito com gato! Meu sonho é ter minha ONG pra conseguir ajudar mais.

Deixe uma mensagem para finalizarmos.
Gente, adorei a entrevista e obrigada pelo espaço. Foi um prazer dividir um pouquinho da minha vida com vocês! Fiquem todos com Deus e um beijo enorme.

O post Camila Travaglini diz que pretende dar continuidade a carreira de atriz apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/camila-travaglini-diz-que-pretende-dar-continuidade-a-carreira-de-atriz/feed/ 0
Patrícia Beck revela maior dificuldade da profissão: a solidão http://registropop.com.br/patricia-beck-revela-maior-dificuldade-da-profissao-solidao/ http://registropop.com.br/patricia-beck-revela-maior-dificuldade-da-profissao-solidao/#respond Thu, 01 Mar 2018 15:10:09 +0000 http://registropop.com.br/?p=19276

Patrícia Beck iniciou sua carreira de modelo aos 13 anos quando foi abordada em um shopping e logo em 1999 saiu vitoriosa no concurso da Ford Models, o que lhe deu a oportunidade de mostrar seu talento ao mundo. Residindo nos mais diversos lugares como Londres, Milão e Nova York, hoje mantém uma carreira consolidada […]

O post Patrícia Beck revela maior dificuldade da profissão: a solidão apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Patrícia Beck iniciou sua carreira de modelo aos 13 anos quando foi abordada em um shopping e logo em 1999 saiu vitoriosa no concurso da Ford Models, o que lhe deu a oportunidade de mostrar seu talento ao mundo.

Residindo nos mais diversos lugares como Londres, Milão e Nova York, hoje mantém uma carreira consolidada com mais de 18 anos na profissão.

Em meados de 2010, Beck quase jogou tudo para o alto. Após 9 anos morando no exterior e sempre com uma agenda sobrecarregada, ela chegou a reconsiderar algumas vezes desistir da carreira, porém o mercado nacional a fez levantar de novo para o sucesso.

Em entrevista ao Luca Moreira, do Registro POP, a catarinense falou um pouco da sua história, além de ter revelado um pouco dos preparativos para a chegada de seu filho Benjamin.

Quando foi que sua carreira como modelo começou?

Começou em 1999 no concurso da Ford. Nem tinha sido eu quem me inscrevi (risos) e consegui passar por várias etapas dentro do Brasil.

Quando percebi já estava em São Paulo, recebendo o primeiro lugar. Fui disputar a mundial e nunca mais parei. Foi tudo tão rápido que eu nem tinha comentado com meus pais “e se eu ganhar o que …”.

Qual foi a sensação de ter ganhado o concurso da Ford Models e logo depois ter tido a oportunidade de levar seu nome para outros lugares como Londres e Nova York?

Nunca esperei que isso poderia acontecer na minha vida…uma menina que morava em Blumenau, usava aparelho nos dentes e tinha todas as inseguranças de uma adolescente.

Quando anunciaram meu nome, não pude acreditar, o mundo parou por alguns segundos… eu respirei fundo e percebi que aquele era meu destino. Poucas semanas depois já estava morando fora do país e fiquei focada na carreira.

Cada trabalho era uma conquista enorme. Trabalhei com alguns dos melhores da moda e me orgulho bastante disso. Sempre agradeci muito por tudo que passou e ainda passa no meu caminho.

Com mais de 18 anos de profissão e seu trabalho já consolidado no meio, existe alguma coisa em especial que ainda falte aprimorar na sua profissão?

Me sinto uma modelo de sorte, pois consegui fazer muitas coisas das quais sonhei. Mas ainda tenho vontade de fotografar com o Paulo Roversi – um fotografo italiano que tem um estilo que me fascina…ele é um artista.

Em meados de 2010, foi comentado que você chegou a pensar que sua carreira já estava acabando. O que a fez pensar assim?

Eu estava há 9 anos morando fora do país, quase não voltava para cá e sempre tive uma agenda muito cheia. Mas o mercado brasileiro foi incrível comigo e voltei a fazer tudo que fazia antes.

Foto: Reprodução/Instagram

Qual a maior dificuldade na vida de uma modelo?

A solidão, Muitas desistem por esse motivo. Trocamos toda hora de país, passamos a maior parte do tempo nos aeroportos sozinhas…. hoje com a internet melhorou um pouco, mas ela ainda atinge a maioria.

Qual seu segredo para manter a carreira firme por tanto tempo?

Tem uma frase que sempre me agarrei a ela: “Querer é poder”. Mesmo passando por momentos ruins ou bons, ela sempre esteve comigo.

Qual é o truque para manter o corpo em forma?

Primeiro de tudo, cuido do meu estado de espirito meditando e praticando Yoga. Se eu não estiver bem comigo mesma, o resto não vai funcionar.

Fazer exercícios e ter uma boa alimentação é necessário. Gosto de fazer corridas, pedalar de bike nos finais de semana e sou apaixonada por Muay Thai.

Na alimentação sempre opto por aquilo que vem da natureza e não industrializados com gordura, açúcar e sódio, que fazem mal para o nosso corpo.

A espera da chegada do filho, como andam os preparativos para a vida como mãe? Pretende continuar trabalhando normalmente?

Não vejo a hora do meu Benjamin chegar e converso muito com meu marido sobre isso.

Eu estava com muita vontade de ser mãe e logo logo esse dia estará ai. Passou tão rápido que eu ainda nem terminei o quarto dele.

Tenho lido bastante sobre como ser mãe, o que fazer e sobre alguns métodos, mas acredito que quando nasce um filho, nasce uma mãe junto.

Com a sua chegada não vou deixar a carreira de lado mas com certeza minhas prioridades vão mudar. Vou pensar duas vezes antes de pegar um avião e ficar dias fora de casa.

Foto: Reprodução/Instagram

De todos os lugares por onde passou, qual mais lhe marcou ?

Londres sempre vai ser a capital do mundo pra mim! Morar lá foi uma escola a céu aberto.

Conheci pessoas do mundo inteiro, com estilos e culturas diferentes onde todos parecem viver em harmonia.

É um lugar onde não importa se você é filho de fulano, ou de indicação do outro. Lá você é reconhecido pelo seu trabalho, pelo seu esforço e pelos seus resultados.

Finalizando, uma mensagem:

Fazer tudo com calma, sem medos e ansiedades. Quando a gente anda nessa sintonia as coisas começam a fluir, seja no trabalho, em casa ou com os amigos.

O post Patrícia Beck revela maior dificuldade da profissão: a solidão apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/patricia-beck-revela-maior-dificuldade-da-profissao-solidao/feed/ 0
Rafael Sardão comenta evolução espiritual após personagens http://registropop.com.br/rafael-sardao-comenta-evolucao-espiritual-apos-personagens/ http://registropop.com.br/rafael-sardao-comenta-evolucao-espiritual-apos-personagens/#respond Fri, 16 Feb 2018 21:15:35 +0000 http://registropop.com.br/?p=18279

Rafael Sardão, ator de televisão e teatro, fez papeis importantes na dramaturgia brasileira como Salmon (A Terra Prometida), Uri (Os Dez Mandamentos) e atualmente na pele do médeico Tiago Santero na trama de Edson Spinello, Apocalipse exibida pela Rede Record. Em entrevista exclusiva escrita em português e em espanhol para o colunista Luca Moreira do […]

O post Rafael Sardão comenta evolução espiritual após personagens apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Rafael Sardão, ator de televisão e teatro, fez papeis importantes na dramaturgia brasileira como Salmon (A Terra Prometida), Uri (Os Dez Mandamentos) e atualmente na pele do médeico Tiago Santero na trama de Edson Spinello, Apocalipse exibida pela Rede Record.

Em entrevista exclusiva escrita em português e em espanhol para o colunista Luca Moreira do RegistroPop, o ator comentou sobre diversos pontos importantes dos seus recentes e futuros projetos, tanto profissional como pessoal.

Como e quando você começou sua carreira de ator?

PT: Comecei a estudar teatro em 1998. Aos 16 anos. Levado por uma amiga pra conhecer um cursinho de teatro em Botafogo. Já me apaixonei pela profissão de cara. Foi um encontro especial com a profissão desde o início. Fiz muito teatro amador, comparsaria de óperas no teatro municipal do Rio de Janeiro, até que entrei pra faculdade de artes dramáticas da Universidade da Cidade do Rio de Janeiro, onde me formei bacharel em 2008. Em 2010 entrei pra record onde estou feliz até hoje fazendo trabalhos que me enchem de orgulho.

ES: Comencé a estudiar teatro en 1998. A los 16 años. Llevado por una amiga para conocer un cursillo de teatro en Botafogo. Ya me enamoré de la profesión de pronto. Fue un encuentro especial con la profesión desde el principio. Hice teatro amateur, óperas en el Theatro Municipal de Rio de Janeiro. En 2008 me gradué en la facultad de Arte Dramático. En el año 2010 entré a TV Record donde estoy feliz hasta hoy haciendo trabajos que me llenan de orgullo.

O que mudou na sua vida depois de ter feito “A Terra Prometida”?

PT: Eu acho que profissionalmente me sinto mais preparado para encarar desafios maiores. O Salmon foi um personagem de muita complexidade, muitas nuances, era um guerreiro temido, mais muito amoroso e até romântico, de uma fé inabalável e sonhador, pude fazer cenas de todos os tipo e intensidades. Das cenas mais românticas, até guerras sangrentas, passando por cenas de família com sua irmãzinha, era um personagem que exigia versatilidade, e acho que consegui dar conta do serviço. o que muda é que me sinto mais experiente, mais preparado. Salmon foi uma pós graduação em atuação na TV.

ES: Creo que profesionalmente me siento más preparado para afrontar mayores desafíos. El Salmon fue un personaje de mucha complejidad, muchos matices, era un guerrero temido, más muy amoroso e incluso romántico, de una fe inquebrantable y soñador, pude hacer escenas de todo tipo e intensidades. De las escenas más románticas, hasta guerras sangrientas, pasando por escenas de familia con su hermanita, era un personaje que exigía versatilidad, y creo que conseguí dar cuenta del servicio. lo que cambia es que me siento más experimentado, más preparado. Salmon fue un post graduado en actuación en la TV.

Rafael como Salmon (Reprodução)

Como foi a experiência de fazer “Apocalipse”?

PT: Apocalipse foi como um raio, o personagem tinha curvas enormes pra percorrer em pouco tempo, foi de drogado a médico em pouquíssimas cenas, então me foquei em dar o máximo de credibilidade para o Tiago desde o início drogado, tendo overdose, até nos momentos em que ele, já médico, realiza operações complexas para salvar entes queridos. Foi um personagem atual o que não fazia há algum tempo, meus últimos trabalhos foram épicos, então tive que me preocupar em não formalizar demais o personagem e perder humanidade. Mas tive um núcleo delicioso pra trabalhar junto de grandes atores e atrizes, e ótimos diretores, o que facilitou o trabalho.

ES: El apocalipsis fue rápido como un rayo. el personaje tenía curvas enormes para recorrer en poco tiempo, fue de drogado a médico en escasas escenas, entonces me enfocé en dar el máximo de credibilidad a Tiago desde el principio drogado, teniendo sobredosis, hasta en los momentos en que él, ya médico, realiza operaciones complejas para salvar a los seres queridos. Fue un personaje actual lo que no hacía hace algún tiempo, mis últimos trabajos fueron épicos, así que tuve que preocuparme por no formalizar demasiado el personaje y perder humanidad. Pero tuve un núcleo delicioso para trabajar junto a grandes actores y actrices, y grandes directores, lo que facilitó el trabajo.

Rafael como Thiago (Reprodução)

Se não fosse ator, o que gostaria de ser?

PT: Essa pergunta sempre me deixa sem resposta… rsrsrs… não me vejo em outra profissão, qualquer outra seria somente para dar conta de pagar minhas contas… mas amor mesmo eu tenho por atuar.

ES: Esta pregunta siempre me deja sin respuesta … rsrsrs … no me veo en otra profesión, cualquier otra sería sólo para dar cuenta de pagar mis cuentas … pero el amor mismo que tengo por actuar.

Quais suas últimas experiências como ator? Qual o lado bom e o lado ruim dessa profissão?

PT: Eu estive com meu espetáculo teatral em cartaz ano passado “PASSIONAL”. Um texto que nasce de um conto de minha autoria que adaptamos pro teatro. Tive o prazer de dividir o palco mais uma vez com minha esposa Karen Mota, e também com minha amiga, e grande atriz, Carol Machado. Além das novelas busco sempre estar produzindo algo, trabalhando no teatro que é o lugar do ator.

Acho que o único lado ruim da nossa profissão é a desvalorização da carreira, e acho que esse mal não assola somente o teatro, mas todas as artes no Brasil. O povo não é incentivado a consumir teatro, artes plásticas, dança, circo, pelo contrário, alguns setores da política, alguns mal feitores do nosso país insistem em caluniar o artista para evitar o protagonismo daqueles que denunciam os desmandos e absurdos do nosso país, e assim tirar a credibilidade dos gritos mais agudos contra a classe política que é a parcela mais podre do nosso país. Nessa queda de braço os artistas padecem, morrem de fome, são obrigados a abandonar suas carreiras para sobreviver, e isso empobrece o Brasil, empobrece nossa cultura, e emburrece nosso povo. Precisamos abraçar as artes que, historicamente, sempre foi uma ferramenta de resistência.

ES: Yo estuve con mi espectáculo teatral en cartel el año pasado “PASSIONAL”. Un texto que nace de un cuento de mi autoría que adaptamos al teatro. Tuve el placer de dividir el escenario una vez más con mi esposa Karen Mota, y también con mi amiga, y gran actriz, Carol Machado. Además de las novelas busco siempre estar produciendo algo, trabajando en el teatro que es el lugar del actor.

Creo que el único lado malo de nuestra profesión es la desvalorización de la carrera, y creo que ese mal no asola solamente al teatro, pero todas las artes en Brasil. El pueblo no es incentivado a consumir teatro, artes plásticas, danza, circo, por el contrario, algunos sectores de la política, algunos malhechores de nuestro país insisten en calumniar al artista para evitar el protagonismo de aquellos que denuncian los desmanes y absurdos de nuestro país, y así sacar la credibilidad de los gritos más agudos contra la clase política que es la parte más podrida de nuestro país. En esa caída de brazo los artistas padecen, mueren de hambre, están obligados a abandonar sus carreras para sobrevivir, y eso empobrece a Brasil, empobrece nuestra cultura, y emburre a nuestro pueblo. Necesitamos abrazar las artes que, históricamente, siempre ha sido una herramienta de resistencia.

Foto: Reprodução/Internet

Como você vê esse trânsito de atores que vem ocorrendo entre a Globo e a Record?

PT: Normal. Acho que precisávamos de mais outras emissoras também produzindo, também trabalhando para termos espaço de incluir tantos artistas que não tem seu espaço e intensificar esse trânsito.

ES: Normal. Creo que necesitábamos más otras emisoras también produciendo, también trabajando para tener espacio para incluir tantos artistas que no tienen su espacio e intensificar ese tránsito.

Qual foi o papel mais importante de sua carreira?

PT: Eu acho que o Uri, do Os Dez Mandamentos, me lançou a um outro patamar, foi ele que me trouxe o Salmon, eu tenho enorme carinho pelo Uri porque acho que ele me projetou no Brasil e fora dele.

ES: Creo que el Uri, de los Diez Mandamientos, me lanzó a otro nivel, fue él quien me trajo el Salmon, tengo enorme cariño por el Uri porque creo que él me proyectó en Brasil y fuera de él.

Rafael como Uri em “Os Dez Mandamentos” (Reprodução)

Depois de ter participado das novelas da Record, interpretando personagens de fé inabalável como o Salmon e o Dr. Tiago, houve alguma mudança em relação a sua fé e sua maneira de ver a vida?

PT: Estamos na vida pra evoluir, e eu busco estar nesse caminho de evolução sempre, acredito que todos os meus trabalhos me levaram a evoluir espiritualmente porque me possibilitaram executar meu trabalho e lhe dar com questões humanas importantes e isso me faz refletir na minha vida. O Tiago por exemplo me lembrou como é importante se doar pro outro, como ajudar o outro te faz bem. Eu acho que isso é evolução, você conseguir amar o outro, se doar pelo outro, acho que nisso mora os princípios que Cristo nos ensinou, amai ao próximo como a ti mesmo.

ES: Estamos en la vida para evolucionar, y yo busco estar en ese camino de evolución siempre, creo que todos mis trabajos me llevaron a evolucionar espiritualmente porque me posibilitar ejecutar mi trabajo y darle con cuestiones humanas importantes y eso me hace reflexionar en mi vida. Tiago por ejemplo me recordó cómo es importante donarse al otro, cómo ayudar al otro te hace bien. Yo creo que eso es evolución, tú conseguir amar al otro, darse por el otro, creo que en eso mora los principios que Cristo nos enseñó, ama al prójimo como a ti mismo.

Já existe alguma proposta para um novo trabalho?

PT: Meu contrato com a record vai até final do ano. Ainda não tenho nenhuma proposta oficial mas estou pronto e querendo já começar outro projeto. Sou viciado em trabalho e me incomoda ficar parado. Portanto já estou me preparando pra meu próximo desafio, e espero que venha logo.

ES: Mi contrato con TVRecord va hasta el final del año. Todavía no tengo ninguna propuesta oficial pero estoy listo y queriendo ya conseguir otro proyecto. Soy adicto al trabajo y me molesta quedarme parado. Por lo tanto ya me estoy preparando para mi próximo desafío, y espero que venga pronto.

Como você se define como pessoa e como ator?

PT: Uma pessoa muito tranquila e pacífica. Sou um ator obsessivo e perfeccionista.

ES: Una persona muy tranquila y pacífica. Soy un actor obsesivo y perfeccionista

Como conheceu sua esposa Karen? Pretendem ter filhos?

PT: Nos conhecemos num grupo de teatro onde eu estava dirigindo uma esquete adaptada do Machado de Assis, e ela era minha atriz principal. Foi um encontro mágico, no palco. Eu quero sim. Acredito que em dois anos a gente já pode pensar em concretizar esse sonho.

ES: Nos conocimos en un grupo de teatro donde yo estaba dirigiendo una esclusa adaptada del Machado de Asís, y ella era mi actriz principal. Fue un encuentro mágico en el escenario. Yo sí quiero. Creo que en dos años ya podemos pensar en concretar ese sueño.

Rafael e a esposa Karen (Foto: Reprodução)

Como foi atuar em “Os Dez Mandamentos”?

PT: Foi mágico. Muitos e grandes amigos eu fiz nessa novela além de todo o carinho que a gente recebia durante a novela que nos fazia gozar de um prazer único. Foi realmente especial esse grupo é essa novela.

ES: Fue mágico. Muchos y grandes amigos hice en esta novela además de todo el cariño que la gente recibía durante la novela que nos hacía gozar de un placer único. Fue realmente especial ese grupo es esa novela.

Como seria pra você receber o papel de Jesus em uma novela da Record? Você aceitaria o papel?

PT: Seria o personagem da minha vida. O maior personagem da história da humanidade, da história cristã. Eu sempre desejei esse personagem, me imaginava fazendo A paixão de Cristo no teatro, e se acontecer na tv será uma imersão completa da minha parte, vou dar o meu máximo para termos o mesmo sucesso de Os Dez Mandamentos e Terra Prometida e entregar uma novela pra ficar na história da televisão brasileira e mundial.

 

ES: Es el personaje de mi vida. Siempre he deseado este personaje en el teatro, y si sucede en la televisión será una inmersión completa de mi parte, voy a dar mi máximo para tener el mismo éxito de Los Diez Mandamientos y Tierra Prometida y entregar una novela para quedarse en la historia de la televisión brasileña y mundial.

Quais são suas maiores inspirações como ator?

PT: Eu procuro assistir grandes atores em cena sempre, tenho diversos exemplos de grandes atores que me inspiram e me ensinam a cada trabalho que vejo deles, poderia citar vários : Michael Fassbender, Wagner Moura, Robert Downey jr, etc.

Mas busco muita inspiração nas pessoas que me cercam na vida, alguns personagens meus são inspirados em amigos ou familiares por terem um mesmo tipo de comportamento, de atitude, de energia, e nisso vou encontrando detalhes genuínos pra trazer algo inovador e não uma cópia de algo já visto.

ES: Yo busco ver a grandes actores en escena. Tengo varios ejemplos de grandes actores que me inspiran y me enseñan a cada trabajo que veo de ellos, podría citar varios: Michael Fassbender, Wagner Moura, Robert Downey jr, etc

Pero busco mucha inspiración en las personas que me rodean en la vida, algunos personajes míos son inspirados en amigos o familiares por tener un mismo tipo de comportamiento, de actitud, de energía, y en eso voy encontrando detalles genuinos para traer algo innovador y no una copia de algo ya visto.

Como você se sente em relação aos seus fãs de várias idades e de diferentes lugares ?

PT: Eu fico muito lisonjeado. O carinho que recebo é tão grande que às vezes parece mentira. Eu adoro ler os comentários e curtir para que a pessoa saiba que ela está sendo vista por mim e que seu carinho ou palavras estão sendo lidas. Existem alguns poucos que preferem destilar ódio ou rancor, estes eu prefiro ignorar, não me deixo ser atingido por energias de negatividade.

ES: Me siento muy halagado. El cariño que recibo es tan grande que a veces parece mentira. Me encanta leer los comentarios y disfrutar para que la persona sepa que ella está siendo vista por mí y que su cariño o palabras están siendo leídas. Hay algunos pocos que prefieren destilar odio o rencor, estos prefieren ignorar, no me dejo ser alcanzado por energías de negatividad

Interpretar um personagem bíblico, lhe traz alguma dificuldade a mais?

PT: Existe uma responsabilidade maior quando você tem personagens históricos onde você precisa ter uma coerência mais definida. Mas por ter feito tantos trabalhos bíblicos, talvez eu seja um dos atores que mais fez esse tipo de trabalho no mundo, hoje eu já me sinto à vontade pra encarar essas diferenças que o trabalho bíblico traz em si.

ES: Hay una responsabilidad mayor cuando usted tiene personajes históricos donde usted necesita tener una coherencia más definida. Pero por haber hecho tantos trabajos bíblicos, tal vez yo sea uno de los actores que más hizo ese tipo de trabajo en el mundo, hoy ya me siento a gusto para encarar esas diferencias que el trabajo bíblico trae en sí.

Deixe uma mensagem para terminarmos.

PT: Queridos e queridas fãs, nosso trabalho existe para vocês. Vocês são a razão de nosso suor. E é tão bom receber o carinho, os elogios, os comentários de vocês em minhas redes sociais, e são tantos comentários deliciosos , que eu só quero aproveitar pra agradecer a cada um de vocês que dedicam um pouquinho do seu tempo comigo. Saibam que eu busco ver todos os comentários, e me encho de alegria a cada um que leio. Obrigado, podem ter certeza que minha dedicação e esforço pra fazer sempre melhor é alimentado pela resposta que vocês me dão. Obrigado é um beijo no seu coração.

ES: Queridos y queridos fans, nuestro trabajo existe para ustedes. Ustedes son la razón de nuestro sudor. Y es tan bueno recibir el cariño, los elogios, los comentarios de ustedes en mis redes sociales, y son tantos comentarios deliciosos, que sólo quiero aprovechar para agradecer a cada uno de ustedes que dedican un poquito de su tiempo conmigo. Sepan que busco ver todos los comentarios, y me encanta de alegría a cada uno que leo. Gracias, pueden estar seguros de que mi dedicación y esfuerzo para hacer siempre mejor es alimentado por la respuesta que me dan. Gracias es un beso en tu corazón.

O post Rafael Sardão comenta evolução espiritual após personagens apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/rafael-sardao-comenta-evolucao-espiritual-apos-personagens/feed/ 0
Duda fala sobre planos para carreira musical http://registropop.com.br/duda-fala-sobre-planos-para-carreira-musical/ http://registropop.com.br/duda-fala-sobre-planos-para-carreira-musical/#respond Sat, 10 Feb 2018 20:59:58 +0000 http://registropop.com.br/?p=17229

Dona de uma impressionante voz, a cantora brasileira Duda acaba de lançar sua nova música em parceria com o cantor Israel Novaes: ‘Sim, Senhora’. Esse novo ano está só começando e o que tudo indica a artista não vai parar por ai! Em uma exclusiva concedida ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, Duda fala sobre […]

O post Duda fala sobre planos para carreira musical apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Dona de uma impressionante voz, a cantora brasileira Duda acaba de lançar sua nova música em parceria com o cantor Israel Novaes: ‘Sim, Senhora’. Esse novo ano está só começando e o que tudo indica a artista não vai parar por ai!

Em uma exclusiva concedida ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, Duda fala sobre a influência da família no mundo musical e sobre suas parcerias.

Quando descobriu que tinha talento para música?
A música sempre fez parte da minha vida, pois venho de uma família de músicos. Meus pais cantam, meus irmãos cantam e tocam. Então, cresci num universo totalmente musical, com 6 aninhos já cantava na igreja e deva indícios que essa seria minha profissão.

Além de Israel Novaes, existem planos para próximas parcerias?
Por enquanto não posso falar muito à respeito devido estarmos finalizando alguns detalhes, mas acredito que em breve teremos mais uma grande parceria e tenho certeza vocês irão curtir muito!

Como é lidar com o sucesso e o crescimento de sua carreira?
Graças a Deus lido muito bem com tudo isso, pois foi algo que sempre desejei pra minha vida. Ainda estou começando minha carreira e sei que tenho uma longa estrada pela frente, mas sempre mantenho meus pés no chão e jamais me esqueço das minhas raízes, de onde vim e onde quero chegar. Acima de tudo, também peço a Deus que me dê discernimento e me ajude a sempre seguir pelos caminhos certos.

Como você se vê daqui a 10 anos?
Olha, confesso que ainda não fiz essa leitura futurística, pois estou muito focada no agora, mas o meu desejo é viver do meu trabalho por longos anos… (risos)

Foto: Divulgação

Quando não está trabalhando, o que gosta de fazer?
Eu adoro ficar em casa, assistir séries, ir ao cinema e também pesquisar sobre coisas que possam influenciar no meu processo criativo, também adoro viajar e conhecer novas culturas e costumes.

Atualmente, já existem projetos para uma carreira internacional?
Acho que ainda é um pouco cedo pra pensar em algo internacional, até porque estou começando minha carreira aqui no Brasil e pretendo me consolidar primeiro. Mas se surgir algo no meio do caminho, por que não? (Risos)

Qual é o seu maior medo?
Tenho alguns medos, mas acho que o mais forte seria morrer sem realizar meu sonho – de uma carreira como cantora.

Sobre a ideia de fazer uma parceria com a Anitta futuramente, o que acharia?
Eu acho maravilhosa essa ideia! Anitta é sinônimo de sucesso por onde passa e, além disso, tem uma história de superação incrível que eu admiro muito. Com certeza seria uma grande realização ter a oportunidade pra uma parceria musical com ela.

O que podemos esperar de Duda em 2018?
Pra 2018, vocês podem esperar muita música e muitos shows por esse Brasil a fora. Estou super feliz em poder dar o pontapé inicial com “Sim Senhora”, e espero que o meu trabalho rompa barreiras e chegue ao maior número de pessoas possível!

Como você se definiria?
Sou muito determinada, perfeccionista e batalhadora, nunca tive nada fácil e sempre corri muito atrás dos meus objetivos. Acredito que isso é o que me deixa mais forte a cada dia e me faz ter a certeza que não vou desistir.

Deixe uma mensagem para terminarmos.
Galera do Registro Pop, super obrigada pelo carinho, adorei responder as perguntas de vocês, e fiquem ligadinhos nas minhas redes sociais que já já tem mais novidades pra vocês!!! Um super beijo!

E claro, não deixem de curtir minha nova música – “Sim, Senhora”

O post Duda fala sobre planos para carreira musical apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/duda-fala-sobre-planos-para-carreira-musical/feed/ 0
Felipe Hintze fala sobre personagem em “Malhação” http://registropop.com.br/felipe-hintze-fala-sobre-personagem-em-malhacao/ http://registropop.com.br/felipe-hintze-fala-sobre-personagem-em-malhacao/#respond Mon, 29 Jan 2018 16:11:36 +0000 http://registropop.com.br/?p=16886

Atualmente como Moqueca em “Malhação – Viva a Diferença”, Felipe Hintze nasceu e cresceu na cidade de Campinas. Passou a se interessar pelas artes cênicas em 2009 quando iniciou seus estudos na Escola de Atores Wolf Maya. Sua primeira oportunidade como protagonista foi na peça “A Toca do Coelho” onde contracenou com Reynaldo Gianecchini e […]

O post Felipe Hintze fala sobre personagem em “Malhação” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Atualmente como Moqueca em “Malhação – Viva a Diferença”, Felipe Hintze nasceu e cresceu na cidade de Campinas. Passou a se interessar pelas artes cênicas em 2009 quando iniciou seus estudos na Escola de Atores Wolf Maya. Sua primeira oportunidade como protagonista foi na peça “A Toca do Coelho” onde contracenou com Reynaldo Gianecchini e Maria Fernanda Cândido.

Através do teatro, Hintze conseguiu atenção da Globo para fazer sua primeira aparição na TV, interpretando o personagem Cícero em “Dupla Identidade” (2014). Já no ano seguinte, realizou sua segunda produção na casa:“Verdades Secretas”.Em 2017, Felipe retornou à televisão realizando papéis em séries internacionais como “Supermax”.

Foto: Divulgação/Vira Comunicação

Como é interpretar o Moqueca em “Malhação”? Era o que você queria quando fez o teste?

É uma delícia! Eu me divirto muito com o Juan Paiva, construímos uma parceria boa. Ao decorrer da trama o Moqueca foi ficando mais leve, mas eu adoro fazer tanto as cenas mais densas como as mais cômicas.

Em “Verdades Secretas”, como foi trabalhar com Camila Queiroz e Rodrigo Lombardi?

Um sonho realizado! Camila se tornou uma das minhas melhores amigas e o Rodrigo é um querido, ele que me indicou para eu fazer o musical “Senhor das Mocas”. “Verdades” foi um marco, tenho muito orgulho de ter participado.

Sobre o Moqueca, qual o final que você espera para ele?

Antes eu queria que ele fosse preso pelo tráfico de drogas, mas agora eu quero que ele encontre o amor e saia desse mundo das drogas. Ele se mostrou com um bom caráter e bom coração.

Qual foi a primeira peça profissional que você fez?

Uma peça chamada “A Toca do Coelho”, dirigida por Dan Stulbach, com Reynaldo Gianecchini e Maria Fernanda Cândido no elenco.

Se pudesse passar um conselho a alguém que sonha com a carreira de ator, qual seria?

Estude muito e faça muito teatro.

Como é trabalhar com a Talita Younan?

É maravilhoso! A Talita é uma das amizades que eu sei que vou levar depois que a novela acabar. Ela é uma pessoa incrível e uma atriz muito talentosa.

Se você não fosse o Moqueca, quem você gostaria de ser na novela?

Acho que o Roney Romano. Sempre fui fã do Lucinho!

Em termos de relacionamentos, como anda seu coração?

Batendo pela minha namorada! Eu namoro há quase dois anos. Ela se chama Talita e também é atriz.

Sobre Malhação, como foi o processo de construção do seu personagem?

Eu vi muitos filmes sobre a periferia de São Paulo e fiz uma lista no Spotify com músicas de rapper paulista para pegar o sotaque e o jeito de falar.

Qual o personagem dos seus sonhos?

Quero fazer um vilão e uma drag. Quem sabe um vilão drag queen?

O post Felipe Hintze fala sobre personagem em “Malhação” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/felipe-hintze-fala-sobre-personagem-em-malhacao/feed/ 0
André Ramiro divide planos entre a música e o cinema http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/ http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/#respond Fri, 22 Dec 2017 09:42:31 +0000 http://registropop.com.br/?p=15986

Apesar de manter suas origens como ator, André Ramiro tem tentado aos poucos engatar cada vez mais uma carreira musical. Ele,que marcou o cinemabrasileiro com um dos maiores sucessos das telonas “Tropa de Elite” (2007), hoje ingressa com estilo Rap. O primeiro passo de sua jornada como cantor foi em janeiro de 2012 com o […]

O post André Ramiro divide planos entre a música e o cinema apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Apesar de manter suas origens como ator, André Ramiro tem tentado aos poucos engatar cada vez mais uma carreira musical. Ele,que marcou o cinemabrasileiro com um dos maiores sucessos das telonas “Tropa de Elite” (2007), hoje ingressa com estilo Rap.

O primeiro passo de sua jornada como cantor foi em janeiro de 2012 com o lançamento do álbum “Crônicas de um Rimador”, que contou com a produção de Damien Seth e do DJ Pachu. Junto com o grupo ConeCrew, Ramiro participou do clipe “Chama os Mulekes” e da música “Na Real”, composta por Mr. Thug.

Em entrevista exclusiva do Registro POP, concedida ao colunista Luca Moreira, o artista fez um balanço da carreira e deu detalhes dos novos caminhos que tem trilhado.

Na sua opinião, qual papel exigiu mais da sua dedicação e pesquisa para entrar no personagem e qual foi mais fácil?

Difícil dizer qual. Todos os papéis que interpretei exigiram dedicação e autodisciplina. Os que talvez tenham exigido um pouco mais foram papéis em que tive que atuar em uma outra língua.

Sobre cantar, o que te move na música? Como ela te traduz?

O que me move é a paixão pela música e a liberdade em ser eu mesmo nas canções, transmitindo tudo que penso e sinto no coração. A música traduz minha alma.

Sobre os futuros projetos, como estão?

Meus projetos pessoais são quatro: meu próximo disco, meu trabalho como palestrante, meu monólogo teatral e um documentário que vou dirigir em breve. Todos tendo como base o empoderamento através do conhecimento.

Onde prefere atuar, televisão ou cinema?

Minha carreira como ator nasceu no cinema. Minha preferência é sempre por trabalhos que me ofereçam novos desafios.

De onde e como foi que surgiu a ideia de começar na música?

Tudo começou com a música, com o Rap, foi ele quem me levou a dramaturgia. Comecei fazendo batalhas de MC’S na Lapa até gravar meu primeiro disco. A música foi o meu primeiro amor.

Sobre o seu estilo, de onde você acha que veio a preferência pelo Rap?

Por identificação. Não tenho preconceito musical algum, acredito que a música assim como nós humanos é feita para ser misturada. O Rap é onde consigo traduzir isso tudo.

Entre música e cinema, o que você prefere?

Minha carreira de ator é prioridade. E a música sempre vai fazer parte da minha vida. Está tudo conectado.

Como você se define por você mesmo?

Uma pessoa simples, nem melhor nem pior que ninguém. Simples assim (risos).

Como aconteceu o convite para gravar com o Cone Crew e como foi essa experiência?

Conheço o Maomé desde as épocas das batalhas, além de bom MC ele é gente finíssima. Acredito que o convite tenha partido daí em conjunto com o grupo por toda minha história com o Rap. A experiência foi ótima além de humildes todos eles são muito bem-humorados. Nos divertimos muito.

Como e quando foi que você decidiu seguir a carreira como ator?

Quando pisei pela primeira vez num set de filmagem senti que estava no lugar certo. Foi a partir do Tropa de Elite.

Existem planos para sair do Brasil e tentar uma carreira internacional? Se pudesse escolher umator estrangeiro, com quem você almeja dividir o palco?

Venho me preparando pra isso, mas não quero criar expectativas, ou pressão. Que seja um caminho natural, é necessário estar preparado. São tantos… mas vou ressaltar Denzel Washington, Morgan Freeman e Will Smith.

Daqui pra frente, já podemos esperar novas parcerias musicais?

Com certeza, mas não posso dar spoiler agora (risos).

Deixe uma mensagem

Que Deus abençoe a todos com muita luz, saúde e amor no coração! Obrigado pelas perguntas e pelo carinho de todos!

O post André Ramiro divide planos entre a música e o cinema apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/feed/ 0
Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/ http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/#respond Thu, 23 Nov 2017 18:28:30 +0000 http://registropop.com.br/?p=15575

Natural do Mato Grosso do Sul, a atriz Fran Maya, que se destacou com sua personagem Jaque no sucesso mundial “Os Dez Mandamentos”, produzido em 2016 pelo talentoso diretor Alexandre Avancini na Record TV. Hoje buscase aprimorar em suas qualidades como atriz. Formada na prestigiada Escola de Atores Wolf Maya, a atriz está, atualmente, em […]

O post Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Natural do Mato Grosso do Sul, a atriz Fran Maya, que se destacou com sua personagem Jaque no sucesso mundial “Os Dez Mandamentos”, produzido em 2016 pelo talentoso diretor Alexandre Avancini na Record TV. Hoje buscase aprimorar em suas qualidades como atriz.

Formada na prestigiada Escola de Atores Wolf Maya, a atriz está, atualmente, em uma viagem de conhecimentos por Espanha e Portugal, e lá está bolando novos planos para sua carreira aqui no Brasil.

Vale lembrar que Fran já esteve em sucessos também como “Amor e Intrigas” e “Os Mutantes”, de autoria do autor Thiago Santiago.

O que mudou na sua carreira após “Os Dez Mandamentos”? E que projeção você acha que a novela trouxe?

Ter feito “Os Dez Mandamentos” foi muito importante para a minha carreira, porque abriu muitas portas. Eu já havia feito algumas coisas na televisão, mas foi minha primeira personagem mesmo de uma novela inteira. O ritmo de gravação foi uma experiência que eu nunca tinha vivido. Eu tinha feito teatro antes e as minhas participações na televisão eram muito pequenas. Posso dizer que ter feito a novela foi maravilhoso. Ela fez muito sucesso no Brasil e no exterior, teve uma projeção internacional. Acabou que foi bom, levou as pessoas a me conhecerem fora do Brasil. Em Portugal, na Espanha… fui reconhecida na rua. Fui fazer um passeio turístico e as pessoas me reconheceram. Você fazer um trabalho e mais de um ano depois ele estar dando frutos ainda… Só tenho a agradecer essa primeira oportunidade na televisão, agradecer a Vivian [de Oliveira], a Record e tudo mais.

Ao fim de cada trabalho você costuma fazer um balaço?

Costumo fazer, sim. Tento melhorar os pontos que tenho que melhorar, que tenho que dar mais atenção. Tenho sempre que fazer um balanço para ver como comecei e como terminei aquele trabalho. A pratica vai nos ensinando, então você termina um trabalho muito melhor do que quando você começou, você vai entrando e conseguindo traçar melhor o objetivo do personagem. A rotina de trabalho e a pratica vão levando você a se conhecer melhor como atriz. Eu sempre faço um balaço entre os meus pontos.
Eu sou uma atriz que sempre estuda muito, sempre estou fazendo workshop, buscando novos conhecimentos. Quero sempre me aperfeiçoar. Acho que a gente sempre tem que estar trabalhando, sempre em movimento. As técnicas que eu aprendi, por exemplo, no curso da Espanha, em Madrid, foram incríveis. Eu não tinha visto essas técnicas no Brasil ainda, então eu acho muito válido a estar estudando e buscando a melhora, sempre estar bem preparado para entrar no mercado e para novos desafios.

Como fica sua relação com os colegas de elenco após o termino de cada trabalho?

Eu tenho uma relação muito boa com as pessoas da novela [Os Dez Mandamentos]. Tenho algumas amizades que eu levei para a vida, como as meninas que faziam minhas irmãs, o meu par romântico, as pessoas do meu núcleo que eu tinha mais contato. Fizemos realmente amizades, tivemos troca tanto em cena como na vida. É muito bom e muito gratificante levar novas amizades e manter esse contato, porque tudo é um ciclo. A gente se encontra, passa um tempo e se encontra novamente. Fica aí uma relação de carinho, de amizade e de amor. São pessoas que passaram em minha vida e só somaram.

Da atriz que atuou em “Amor & Intrigas” para a Fran de hoje, o que mudou?

Sou uma pessoa que topa muitos desafios, acho que tudo que me desafia, que causa aquele frio na barriga, me dá brilho nos olhos. Gosto de estar em movimento, sou uma pessoa que estuda muito. Acho que estou em um processo de me mostrar uma pouco mais, mostrar mais a Fran, até nas minhas redes sociais, porque eu sou um pouco tímida, não parece, mas sou, então, estou trabalhando para mudar um pouco isso.

Como você define Fran Maya?

Sou uma pessoa persistente, me acho uma pessoa até fácil de se adaptar. Essa viagem até me fez ver muito isso, me adaptar ao que estou vivendo naquele momento. Sou uma pessoa que não desisto do que quer, que persiste, estuda e as vezes um pouco impaciente. Eu confesso, mas faz parte. Me considero focada em conquistar os meus objetivos e sonhos e não desisto disso.

Recentemente, como citado anteriormente, você esteve na Europa em uma escola de dramaturgia por onde já passaram Camila Pitanga, Giovanna Antonelli e várias outras. Como foi o processo?

Ele foi de suma importância, porque eu aprendi uma técnica de interpretação que não tinha visto no Brasil. Para eu, fazer um curso em outro idioma foi mais incrível ainda, um desafio maior, já que não domínio a língua, e até falo hoje. Mas você lidar com pessoas de cultura e costumes diferentes é uma grande aventura, e eu era a única brasileira lá. Foi legal mesmo essa troca. Acho que todo ator tinha que ter a oportunidade de fazer um curso assim, de estudar em outro país. Foi uma experiência maravilhosa, transformadora como artista e como atriz. Eu estou louca para voltar ao Brasil e poder entrar em um novo projeto que eu estou pensando aí, poder colocar em pratica tudo que aprendi. Estudar fora foi o primeiro [projeto], foi aquele desafio, aquela borboleta no estômago, sabe? Enquanto elas estão lá, está valendo a pena.

Como está seu lado atriz atualmente? Algum projeto?

Quanto aos planos, eles existem, sim! Até comecei a escrever, porque eu tive um coach uma vez, o André Monteiro, e ele sempre disse que eu tinha talento para escrever. Eu não achava que tinha, mas como estou passando um tempo em Lisboa, comecei a fazer alguns textos, e acabei criando um projeto com minha amiga, que fez o Wolf Maya [escola de teatro] comigo. Quando eu voltar, vamos colocá-lo em pratica, vamos montar uma peça de teatro e vou escrever o texto. Acho que essa viagem me aflorou e me deixou mais sensível.

Fale sobre suas inspirações

Uma atriz brasileira que eu amo, que foi minha inspiração para começar minha carreira foi a Regina Duarte. Eu tinha cinco anos de idade quando assisti “Rainha da Sucata” (1990) e me apaixonei, falei que queria ser igual ela. A partir dali tive muita vontade de ser atriz. Quero muito ainda poder trabalhar com ela, poder viver esse privilégio de estar com ela em cena. É uma pessoa que eu admiro muito, acompanho muito. Internacional eu gosto muito da Meryl Streep. Gosto muito dela, estudei, vi vários filmes dela para fazer, para seguir um pouco da interpretação da Jaque [Os Dez Mandamentos]. Acho que essas atrizes assim consagradas são sempre inspiração, sempre temos que buscar inspirações e estar aprendendo, estar acompanhando o trabalho dessas atrizes que estão aí, sabe?! Autores que eu quero trabalhar ainda, que quero muito ter esse privilégio é a Glória Perez. Amo os trabalhos e as novelas que ela escreve. João Emanuel Carneiro e Walcyr Carrasco também. São os três autores que eu quero muito poder trabalhar ainda. Agora vou buscar, né, continuar lutando para conquistar os meus sonhos e chegar e vir a fazer novela ou séries deles.

Como você esperar estar daqui 10 anos?

Em 10 anos, eu quero ter trabalhado bastante (risos), quero ter filhos, ser feliz, poder levar uma mensagem de amor, uma mensagem bacana para as pessoas que acompanham minha arte. Quero estar realizada!

O post Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/feed/ 0
Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” http://registropop.com.br/15476-2/ http://registropop.com.br/15476-2/#respond Sun, 19 Nov 2017 20:55:29 +0000 http://registropop.com.br/?p=15476

Criada em conjunto habitacional na cidade São Paulo, a contorna Vanessa Jackson, hoje aos 36 anos, encanta a todos que a ouvem com o seu talento puxado no estilo BlackMusic e no estilo de música negra brasileira ligada ao ritmo da MPB. Logo pequena, teve o seu primeiro e melhor incentivo com a carreira de […]

O post Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Criada em conjunto habitacional na cidade São Paulo, a contorna Vanessa Jackson, hoje aos 36 anos, encanta a todos que a ouvem com o seu talento puxado no estilo BlackMusic e no estilo de música negra brasileira ligada ao ritmo da MPB. Logo pequena, teve o seu primeiro e melhor incentivo com a carreira de musicista do pai e do talento do seu tio Dom Salvador como pianista de samba de raiz.

Aos três anos de idade, Jackson já demonstrava seus primeiros para o mundo artístico, se apresentando sempre nas festas e encontros da família, o que a levou em breve a ir estudar no conservatório para se dedicar inteiramente ao estilo de música clássica, e aos 13, iniciando oficialmente sua carreira como cantora da noite. Obteve bastante destaque também no começo como backing-vocal nos grupos Art Popular, Soweto, chegando em breve a ser titular em um grupo que se apresentava em bailes e formaturas.

 

Durante os anos em que precisou passar a cantar para sustentar sua família, não foi um período nada fácil na vida da cantora, tendo feito por muitas vezes Vanessa ter pensado na desistência de sua carreira. Mais o que realmente a fez levantar, foi ter sido uma das ganhadoras do programa FAMA, na qual foi eleita com mais de 18 mil votos populares, sendo esse o primeiro passo de muitos que a consagraria entre os grandes nomes da música MPB brasileira. Há cinco anos atrás, Vanessa voltou a televisão, onde também ganhou o “Esse Artista Sou Eu”.

Depois de sua maravilhosa vitória no programa de 2002, Vanessa já voltou para casa com um contrato que daria origem a seu primeiro disco. Iniciou ali então, a partir daquele dia, uma trajetória que começou como uma fantasia de menina e que hoje ela poderia se colocar no que ela mesma intitula como Música Preta Brasileira.


A partir de agora, vamos mergulhar um pouco mais na vida dessa que hoje é considerada uma das maiores figuras das raízes do MPB brasileiro. Nessa entrevista exclusiva dada ao colunista Luca Moreira do site RegistroPop.

Como e quando foi que você sentiu que a música passaria a fazer parte da sua vida como profissão?

Eu sabia que a música iria fazer parte da minha vida desde que eu era muito pequena, quando eu cantava nas festas da família e minha mãe me descobriu aos três anos cantando na sala de casa, então já sabia que eu queria fazer aquilo.

Sabemos hoje que você desde pequena parece ter tido uma forte influência por ter nascido em uma família já ligada a música. Você acredita que esse fator tenha e faz muita influência no que você é hoje?

Com certeza. Essa é a maior influência que eu poderia ter tido e o maior incentivo, a base familiar e eu ter vindo em uma família de músicos, principalmente por causa do meu pai que é músico.

Algo que lhe ajudou muito a alavancar sua carreira como musicista foi sua vitória no programa “Esse Artista Sou Eu” e “Fama” da Rede Globo em 2002. Hoje, quinze anos depois, o que você acha que mais mudou em você daquela época para os dias de hoje?

Há cinco anos atrás eu ganhei o “Esse artista sou eu”, e foi muito bom pro meu crescimento. Desde lá, eu vivo da música, mais eu já vivia antes do “Fama”. Então isso só me ajudou a continuar vivendo de música.

O que motivou a sua escolha e o seu gosto para a alta-intitulada “música preta brasileira” no meio do estilo MPB?

Não foi uma escolha. Eu sempre falo que a MPB “Música Preta Brasileira”, pra as poucas pessoas que sabem, meu estilo predileto é a bossa nova. Mais como as pessoas me contratam pra cantar black music, pelo fato de eu fazer com maestria esse estilo, então acaba vencendo essa vertente no lance profissional de eu ser contratada e cantar esse estilo, mais o que eu mais gosto é da bossa nova.

Hoje em dia, infelizmente ainda está muito normal vermos preconceitos no meio artístico devido à etnia negra. O que você acha e como você encara a situação que o nosso povo tem vivido? Acredita que esse caso seja ligado à falta de cultura da população brasileira?

Não, eu não sinto isso não, pelo fato de ser preta, eu não vejo isso no meio artístico não. Pelo contrário, sou muito respeitada pelos artistas e isso é muito bacana. Tenho um reconhecimento e um respeito muito grande pelo que eu faço. Mais infelizmente, a gente tá num país que a cultura é pobre e a mídia ajuda muito mais a denegri a imagem do Brasil, nos programas de televisão, a própria música, novelas – em fim, a mídia ajuda a denegri a nossa imagem, então não é só por conta do racismo não, acho que são vários fatores que ajudam a deixar nosso país cada vez mais pobre.

Uma coisa que estão perguntando muito é sobre a falta do musical “Uma Saudação a Whitney Houston”. Como vai o andamento atual do projeto?

Isso é uma incógnita muito grande, porque o idealizador do projeto e diretor musical Rafael Melo ele me passa uma coisa, mais nas redes sociais ele passa outra. A Universal Music procurou o Rafael graças ao sucesso do espetáculo “Uma Saudação a Whitney Houston”, no qual eu faço parte já há um ano. O Rafael alega que a Universal procurou ele para fazer uma edição especial de 25 anos do CD “Guarda Costas” da W.H, e que eles queriam que a artista deles, que foi a vencedora do The Voice, Milena Jardim, fizesse essa edição especial do “Guarda Costas”. É meio contraditório, porque ao mesmo tempo que eles dizem que ela vai fazer a edição especial, cantando as músicas do filme, nas redes sociais o Rafael já colocou ela cantando uma música do primeiro disco da WH, então ela vai estreia agora dia 10 de dezembro no Teatro Net em São Paulo, cantando o repertório que eu canto. Pra mim ele fala uma coisa, nas redes sociais ele coloca outra. Então eu sinceramente, nem sei mais diz ser eu estou ou não, porque as águas estão indo para um riacho diferente, então eu não vou saber responder essa pergunta, porque não eu sei como está a minha participação dentro do musical.

Realmente, é quase impossível negar que um dos seus maiores pontos forte é com certeza o seu vocal. Quais são suas dicas e quais os cuidados você costuma tomar em relação à sua tonalidade?

Eu procuro cuidar bastante da minha saúde com a minha preparadora vocal e fonodiologa Tatiana Gomes, e ela me passa exercícios, diz o que eu tenho e o que eu não tenho que fazer, comer. A dica que eu dou é você cuidar e procurar fazer uma fonodiologia, ter um preparo vocal, porque é isso que encanta profissionalmente. Eu sou bem chata no quesito cuidar da voz.

Em qual artista você mais busca inspiração?

Eu busco inspiração no Michael Jackson, Rusheli Fuel, e estudo muita bossa nova, Elis Regina, Jhonny W, Trio Esperança, Leny Andrade, Tom Jobim, Vinícius, João Joberto… Essas são as minhas inspirações.

Entre os milhares de sucessos que já foram apresentado por você. Quais você considera como sendo seus favoritos?

Realmente milhares de sucessos. Acho que todos do Michael, da Whitney também, Steve H., Djavan, Elis Regina, Leny Andrade, esses.

Entre o fabuloso legado de Michael Jackson e a ilustre Whitney Houston. De qual lado você preferiria ficar?

Com certeza Michael Jackson.

Atualmente você trabalha ou tem planos para elaborar algum projeto com uma banda fixa?

A minha banda me acompanha desde o “Fama”, há 15 anos atrás. Faço shows pelo Brasil e pelo mundo com essa banda, agora projeto eu quero realizar meu sonho que é produzir algo relacionado a bossa nova e continuar com o black divas.

Qual você considera a sua maior realização?

A maior realização da minha vida são os meus filhos.

Sobre um momento que você tenha estipulado metas difíceis na sua vida. O que você fez para realizá-las?

Eu tive muita sorte em realizar coisas que eu achei difícil, como ganhar os programas que eu ganhei, o “Fama” e “Esse Artista Sou Eu”. O restante, tive algum alguns obstáculos, mais eu consegui realizar de boa. No quesito música, eu nunca tive muita dificuldade não.

Se pudesse escolher uma coisa para fazer todos os dias a partir de hoje. Qual seria sua melhor opção?

Se eu pudesse escolher uma coisa pra fazer todos os dias seria dançar. Eu adoro dançar, se eu pudesse dançar todos os dias ficaria bem feliz.

Sendo conhecida como uma cantora eclética quando o assunto é gêneros musicais distintos. Diga um ritmo que realmente você não acredite encaixar no seu perfil?

Sou bastante eclética sim! Porém, já mais me encaixaria no heavy metal, thrash metal. Tudo que é “metal”, eu não iria conseguir me encaixar não.

Qual é a sua maior expectativa para 2018?

Então, quero muito fazer meu projeto de bossa nova, continuar fazendo black divas e acho que vou gravar o meu EP no ano que vem, queria gravar ele agora esse ano, mais não consegui, mais pretendo muito gravar ele agora.

Qual é o seu objetivo na vida? Possui alvos a curtos e longos prazos já definidos?

O meu objetivo, o alvo que eu pretendo alcançar é me mudar para a Europa e viver lá com os meus filhos, cantar lá, em fim. Na Europa, onde as pessoas me dão mais valor que aqui.

Em você como cantora, o que acredita que ainda precise ser melhorado na sua carreira?

Eu como cantora, o que devo melhorar, acho que seria ter que voltar a fazer meu registro de flauta, que é uma coisa que eu quero muito e continuar estudando, vou continuar sempre estudando, porque eu não posso parar né? Sempre to aprendendo alguma coisa, falo que estou sempre engatinhando, sempre com alguma coisa nova para aprender.

Existem planos ainda em aberto para tentar apostar em uma carreira internacional um dia?

Sim. Quero minha carreira internacional o mais rápido possível. Essa é a minha maior meta.

Como você se define como pessoa? (Vanessa por Vanessa)

Vanessa por Vanessa?… Uma pessoa bem difícil, teimosa, infelizmente eu não tenho muita paciência (risos), chata, mas de um coração bom. Perdoou muito fácil e gosto de correr pelo certo. Detesto injustiça e adoro da risada. Eu amo dá uma risada!

Deixe uma mensagem para terminarmos.

Queria agradecer todo os fãs que perguntaram, que quiseram saber um pouquinho mais sobre mim. Obrigada por me apoiarem, por curtirem meu trampo, espero que em 2018 eu consiga realizar esses sonhos e que vocês estejam sempre comigo. Um beijo enorme dentro do coração de vocês. Fiquem com Jeová. Até mais!

O post Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/15476-2/feed/ 0