Entrevista – Registro POP http://registropop.com.br Celebridades, televisão, cinema, música e mais Wed, 17 Jan 2018 23:09:51 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.2 http://registropop.com.br/wp-content/uploads/2017/01/cropped-Favicon-32x32.png Entrevista – Registro POP http://registropop.com.br 32 32 André Ramiro divide planos entre a música e o cinema http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/ http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/#respond Fri, 22 Dec 2017 09:42:31 +0000 http://registropop.com.br/?p=15986

Apesar de manter suas origens como ator, André Ramiro tem tentado aos poucos engatar cada vez mais uma carreira musical. Ele,que marcou o cinemabrasileiro com um dos maiores sucessos das telonas “Tropa de Elite” (2007), hoje ingressa com estilo Rap. O primeiro passo de sua jornada como cantor foi em janeiro de 2012 com o […]

O post André Ramiro divide planos entre a música e o cinema apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Apesar de manter suas origens como ator, André Ramiro tem tentado aos poucos engatar cada vez mais uma carreira musical. Ele,que marcou o cinemabrasileiro com um dos maiores sucessos das telonas “Tropa de Elite” (2007), hoje ingressa com estilo Rap.

O primeiro passo de sua jornada como cantor foi em janeiro de 2012 com o lançamento do álbum “Crônicas de um Rimador”, que contou com a produção de Damien Seth e do DJ Pachu. Junto com o grupo ConeCrew, Ramiro participou do clipe “Chama os Mulekes” e da música “Na Real”, composta por Mr. Thug.

Em entrevista exclusiva do Registro POP, concedida ao colunista Luca Moreira, o artista fez um balanço da carreira e deu detalhes dos novos caminhos que tem trilhado.

Na sua opinião, qual papel exigiu mais da sua dedicação e pesquisa para entrar no personagem e qual foi mais fácil?

Difícil dizer qual. Todos os papéis que interpretei exigiram dedicação e autodisciplina. Os que talvez tenham exigido um pouco mais foram papéis em que tive que atuar em uma outra língua.

Sobre cantar, o que te move na música? Como ela te traduz?

O que me move é a paixão pela música e a liberdade em ser eu mesmo nas canções, transmitindo tudo que penso e sinto no coração. A música traduz minha alma.

Sobre os futuros projetos, como estão?

Meus projetos pessoais são quatro: meu próximo disco, meu trabalho como palestrante, meu monólogo teatral e um documentário que vou dirigir em breve. Todos tendo como base o empoderamento através do conhecimento.

Onde prefere atuar, televisão ou cinema?

Minha carreira como ator nasceu no cinema. Minha preferência é sempre por trabalhos que me ofereçam novos desafios.

De onde e como foi que surgiu a ideia de começar na música?

Tudo começou com a música, com o Rap, foi ele quem me levou a dramaturgia. Comecei fazendo batalhas de MC’S na Lapa até gravar meu primeiro disco. A música foi o meu primeiro amor.

Sobre o seu estilo, de onde você acha que veio a preferência pelo Rap?

Por identificação. Não tenho preconceito musical algum, acredito que a música assim como nós humanos é feita para ser misturada. O Rap é onde consigo traduzir isso tudo.

Entre música e cinema, o que você prefere?

Minha carreira de ator é prioridade. E a música sempre vai fazer parte da minha vida. Está tudo conectado.

Como você se define por você mesmo?

Uma pessoa simples, nem melhor nem pior que ninguém. Simples assim (risos).

Como aconteceu o convite para gravar com o Cone Crew e como foi essa experiência?

Conheço o Maomé desde as épocas das batalhas, além de bom MC ele é gente finíssima. Acredito que o convite tenha partido daí em conjunto com o grupo por toda minha história com o Rap. A experiência foi ótima além de humildes todos eles são muito bem-humorados. Nos divertimos muito.

Como e quando foi que você decidiu seguir a carreira como ator?

Quando pisei pela primeira vez num set de filmagem senti que estava no lugar certo. Foi a partir do Tropa de Elite.

Existem planos para sair do Brasil e tentar uma carreira internacional? Se pudesse escolher umator estrangeiro, com quem você almeja dividir o palco?

Venho me preparando pra isso, mas não quero criar expectativas, ou pressão. Que seja um caminho natural, é necessário estar preparado. São tantos… mas vou ressaltar Denzel Washington, Morgan Freeman e Will Smith.

Daqui pra frente, já podemos esperar novas parcerias musicais?

Com certeza, mas não posso dar spoiler agora (risos).

Deixe uma mensagem

Que Deus abençoe a todos com muita luz, saúde e amor no coração! Obrigado pelas perguntas e pelo carinho de todos!

O post André Ramiro divide planos entre a música e o cinema apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/andre-ramiro-divide-planos-entre-musica-e-o-cinema/feed/ 0
Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/ http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/#respond Thu, 23 Nov 2017 18:28:30 +0000 http://registropop.com.br/?p=15575

Natural do Mato Grosso do Sul, a atriz Fran Maya, que se destacou com sua personagem Jaque no sucesso mundial “Os Dez Mandamentos”, produzido em 2016 pelo talentoso diretor Alexandre Avancini na Record TV. Hoje buscase aprimorar em suas qualidades como atriz. Formada na prestigiada Escola de Atores Wolf Maya, a atriz está, atualmente, em […]

O post Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Natural do Mato Grosso do Sul, a atriz Fran Maya, que se destacou com sua personagem Jaque no sucesso mundial “Os Dez Mandamentos”, produzido em 2016 pelo talentoso diretor Alexandre Avancini na Record TV. Hoje buscase aprimorar em suas qualidades como atriz.

Formada na prestigiada Escola de Atores Wolf Maya, a atriz está, atualmente, em uma viagem de conhecimentos por Espanha e Portugal, e lá está bolando novos planos para sua carreira aqui no Brasil.

Vale lembrar que Fran já esteve em sucessos também como “Amor e Intrigas” e “Os Mutantes”, de autoria do autor Thiago Santiago.

O que mudou na sua carreira após “Os Dez Mandamentos”? E que projeção você acha que a novela trouxe?

Ter feito “Os Dez Mandamentos” foi muito importante para a minha carreira, porque abriu muitas portas. Eu já havia feito algumas coisas na televisão, mas foi minha primeira personagem mesmo de uma novela inteira. O ritmo de gravação foi uma experiência que eu nunca tinha vivido. Eu tinha feito teatro antes e as minhas participações na televisão eram muito pequenas. Posso dizer que ter feito a novela foi maravilhoso. Ela fez muito sucesso no Brasil e no exterior, teve uma projeção internacional. Acabou que foi bom, levou as pessoas a me conhecerem fora do Brasil. Em Portugal, na Espanha… fui reconhecida na rua. Fui fazer um passeio turístico e as pessoas me reconheceram. Você fazer um trabalho e mais de um ano depois ele estar dando frutos ainda… Só tenho a agradecer essa primeira oportunidade na televisão, agradecer a Vivian [de Oliveira], a Record e tudo mais.

Ao fim de cada trabalho você costuma fazer um balaço?

Costumo fazer, sim. Tento melhorar os pontos que tenho que melhorar, que tenho que dar mais atenção. Tenho sempre que fazer um balanço para ver como comecei e como terminei aquele trabalho. A pratica vai nos ensinando, então você termina um trabalho muito melhor do que quando você começou, você vai entrando e conseguindo traçar melhor o objetivo do personagem. A rotina de trabalho e a pratica vão levando você a se conhecer melhor como atriz. Eu sempre faço um balaço entre os meus pontos.
Eu sou uma atriz que sempre estuda muito, sempre estou fazendo workshop, buscando novos conhecimentos. Quero sempre me aperfeiçoar. Acho que a gente sempre tem que estar trabalhando, sempre em movimento. As técnicas que eu aprendi, por exemplo, no curso da Espanha, em Madrid, foram incríveis. Eu não tinha visto essas técnicas no Brasil ainda, então eu acho muito válido a estar estudando e buscando a melhora, sempre estar bem preparado para entrar no mercado e para novos desafios.

Como fica sua relação com os colegas de elenco após o termino de cada trabalho?

Eu tenho uma relação muito boa com as pessoas da novela [Os Dez Mandamentos]. Tenho algumas amizades que eu levei para a vida, como as meninas que faziam minhas irmãs, o meu par romântico, as pessoas do meu núcleo que eu tinha mais contato. Fizemos realmente amizades, tivemos troca tanto em cena como na vida. É muito bom e muito gratificante levar novas amizades e manter esse contato, porque tudo é um ciclo. A gente se encontra, passa um tempo e se encontra novamente. Fica aí uma relação de carinho, de amizade e de amor. São pessoas que passaram em minha vida e só somaram.

Da atriz que atuou em “Amor & Intrigas” para a Fran de hoje, o que mudou?

Sou uma pessoa que topa muitos desafios, acho que tudo que me desafia, que causa aquele frio na barriga, me dá brilho nos olhos. Gosto de estar em movimento, sou uma pessoa que estuda muito. Acho que estou em um processo de me mostrar uma pouco mais, mostrar mais a Fran, até nas minhas redes sociais, porque eu sou um pouco tímida, não parece, mas sou, então, estou trabalhando para mudar um pouco isso.

Como você define Fran Maya?

Sou uma pessoa persistente, me acho uma pessoa até fácil de se adaptar. Essa viagem até me fez ver muito isso, me adaptar ao que estou vivendo naquele momento. Sou uma pessoa que não desisto do que quer, que persiste, estuda e as vezes um pouco impaciente. Eu confesso, mas faz parte. Me considero focada em conquistar os meus objetivos e sonhos e não desisto disso.

Recentemente, como citado anteriormente, você esteve na Europa em uma escola de dramaturgia por onde já passaram Camila Pitanga, Giovanna Antonelli e várias outras. Como foi o processo?

Ele foi de suma importância, porque eu aprendi uma técnica de interpretação que não tinha visto no Brasil. Para eu, fazer um curso em outro idioma foi mais incrível ainda, um desafio maior, já que não domínio a língua, e até falo hoje. Mas você lidar com pessoas de cultura e costumes diferentes é uma grande aventura, e eu era a única brasileira lá. Foi legal mesmo essa troca. Acho que todo ator tinha que ter a oportunidade de fazer um curso assim, de estudar em outro país. Foi uma experiência maravilhosa, transformadora como artista e como atriz. Eu estou louca para voltar ao Brasil e poder entrar em um novo projeto que eu estou pensando aí, poder colocar em pratica tudo que aprendi. Estudar fora foi o primeiro [projeto], foi aquele desafio, aquela borboleta no estômago, sabe? Enquanto elas estão lá, está valendo a pena.

Como está seu lado atriz atualmente? Algum projeto?

Quanto aos planos, eles existem, sim! Até comecei a escrever, porque eu tive um coach uma vez, o André Monteiro, e ele sempre disse que eu tinha talento para escrever. Eu não achava que tinha, mas como estou passando um tempo em Lisboa, comecei a fazer alguns textos, e acabei criando um projeto com minha amiga, que fez o Wolf Maya [escola de teatro] comigo. Quando eu voltar, vamos colocá-lo em pratica, vamos montar uma peça de teatro e vou escrever o texto. Acho que essa viagem me aflorou e me deixou mais sensível.

Fale sobre suas inspirações

Uma atriz brasileira que eu amo, que foi minha inspiração para começar minha carreira foi a Regina Duarte. Eu tinha cinco anos de idade quando assisti “Rainha da Sucata” (1990) e me apaixonei, falei que queria ser igual ela. A partir dali tive muita vontade de ser atriz. Quero muito ainda poder trabalhar com ela, poder viver esse privilégio de estar com ela em cena. É uma pessoa que eu admiro muito, acompanho muito. Internacional eu gosto muito da Meryl Streep. Gosto muito dela, estudei, vi vários filmes dela para fazer, para seguir um pouco da interpretação da Jaque [Os Dez Mandamentos]. Acho que essas atrizes assim consagradas são sempre inspiração, sempre temos que buscar inspirações e estar aprendendo, estar acompanhando o trabalho dessas atrizes que estão aí, sabe?! Autores que eu quero trabalhar ainda, que quero muito ter esse privilégio é a Glória Perez. Amo os trabalhos e as novelas que ela escreve. João Emanuel Carneiro e Walcyr Carrasco também. São os três autores que eu quero muito poder trabalhar ainda. Agora vou buscar, né, continuar lutando para conquistar os meus sonhos e chegar e vir a fazer novela ou séries deles.

Como você esperar estar daqui 10 anos?

Em 10 anos, eu quero ter trabalhado bastante (risos), quero ter filhos, ser feliz, poder levar uma mensagem de amor, uma mensagem bacana para as pessoas que acompanham minha arte. Quero estar realizada!

O post Fran Maya comenta sobre futuros planos para sua volta ao Brasil apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/fran-maya-comenta-sobre-futuros-planos-para-sua-volta-ao-brasil/feed/ 0
Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” http://registropop.com.br/15476-2/ http://registropop.com.br/15476-2/#respond Sun, 19 Nov 2017 20:55:29 +0000 http://registropop.com.br/?p=15476

Criada em conjunto habitacional na cidade São Paulo, a contorna Vanessa Jackson, hoje aos 36 anos, encanta a todos que a ouvem com o seu talento puxado no estilo BlackMusic e no estilo de música negra brasileira ligada ao ritmo da MPB. Logo pequena, teve o seu primeiro e melhor incentivo com a carreira de […]

O post Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Criada em conjunto habitacional na cidade São Paulo, a contorna Vanessa Jackson, hoje aos 36 anos, encanta a todos que a ouvem com o seu talento puxado no estilo BlackMusic e no estilo de música negra brasileira ligada ao ritmo da MPB. Logo pequena, teve o seu primeiro e melhor incentivo com a carreira de musicista do pai e do talento do seu tio Dom Salvador como pianista de samba de raiz.

Aos três anos de idade, Jackson já demonstrava seus primeiros para o mundo artístico, se apresentando sempre nas festas e encontros da família, o que a levou em breve a ir estudar no conservatório para se dedicar inteiramente ao estilo de música clássica, e aos 13, iniciando oficialmente sua carreira como cantora da noite. Obteve bastante destaque também no começo como backing-vocal nos grupos Art Popular, Soweto, chegando em breve a ser titular em um grupo que se apresentava em bailes e formaturas.

 

Durante os anos em que precisou passar a cantar para sustentar sua família, não foi um período nada fácil na vida da cantora, tendo feito por muitas vezes Vanessa ter pensado na desistência de sua carreira. Mais o que realmente a fez levantar, foi ter sido uma das ganhadoras do programa FAMA, na qual foi eleita com mais de 18 mil votos populares, sendo esse o primeiro passo de muitos que a consagraria entre os grandes nomes da música MPB brasileira. Há cinco anos atrás, Vanessa voltou a televisão, onde também ganhou o “Esse Artista Sou Eu”.

Depois de sua maravilhosa vitória no programa de 2002, Vanessa já voltou para casa com um contrato que daria origem a seu primeiro disco. Iniciou ali então, a partir daquele dia, uma trajetória que começou como uma fantasia de menina e que hoje ela poderia se colocar no que ela mesma intitula como Música Preta Brasileira.


A partir de agora, vamos mergulhar um pouco mais na vida dessa que hoje é considerada uma das maiores figuras das raízes do MPB brasileiro. Nessa entrevista exclusiva dada ao colunista Luca Moreira do site RegistroPop.

Como e quando foi que você sentiu que a música passaria a fazer parte da sua vida como profissão?

Eu sabia que a música iria fazer parte da minha vida desde que eu era muito pequena, quando eu cantava nas festas da família e minha mãe me descobriu aos três anos cantando na sala de casa, então já sabia que eu queria fazer aquilo.

Sabemos hoje que você desde pequena parece ter tido uma forte influência por ter nascido em uma família já ligada a música. Você acredita que esse fator tenha e faz muita influência no que você é hoje?

Com certeza. Essa é a maior influência que eu poderia ter tido e o maior incentivo, a base familiar e eu ter vindo em uma família de músicos, principalmente por causa do meu pai que é músico.

Algo que lhe ajudou muito a alavancar sua carreira como musicista foi sua vitória no programa “Esse Artista Sou Eu” e “Fama” da Rede Globo em 2002. Hoje, quinze anos depois, o que você acha que mais mudou em você daquela época para os dias de hoje?

Há cinco anos atrás eu ganhei o “Esse artista sou eu”, e foi muito bom pro meu crescimento. Desde lá, eu vivo da música, mais eu já vivia antes do “Fama”. Então isso só me ajudou a continuar vivendo de música.

O que motivou a sua escolha e o seu gosto para a alta-intitulada “música preta brasileira” no meio do estilo MPB?

Não foi uma escolha. Eu sempre falo que a MPB “Música Preta Brasileira”, pra as poucas pessoas que sabem, meu estilo predileto é a bossa nova. Mais como as pessoas me contratam pra cantar black music, pelo fato de eu fazer com maestria esse estilo, então acaba vencendo essa vertente no lance profissional de eu ser contratada e cantar esse estilo, mais o que eu mais gosto é da bossa nova.

Hoje em dia, infelizmente ainda está muito normal vermos preconceitos no meio artístico devido à etnia negra. O que você acha e como você encara a situação que o nosso povo tem vivido? Acredita que esse caso seja ligado à falta de cultura da população brasileira?

Não, eu não sinto isso não, pelo fato de ser preta, eu não vejo isso no meio artístico não. Pelo contrário, sou muito respeitada pelos artistas e isso é muito bacana. Tenho um reconhecimento e um respeito muito grande pelo que eu faço. Mais infelizmente, a gente tá num país que a cultura é pobre e a mídia ajuda muito mais a denegri a imagem do Brasil, nos programas de televisão, a própria música, novelas – em fim, a mídia ajuda a denegri a nossa imagem, então não é só por conta do racismo não, acho que são vários fatores que ajudam a deixar nosso país cada vez mais pobre.

Uma coisa que estão perguntando muito é sobre a falta do musical “Uma Saudação a Whitney Houston”. Como vai o andamento atual do projeto?

Isso é uma incógnita muito grande, porque o idealizador do projeto e diretor musical Rafael Melo ele me passa uma coisa, mais nas redes sociais ele passa outra. A Universal Music procurou o Rafael graças ao sucesso do espetáculo “Uma Saudação a Whitney Houston”, no qual eu faço parte já há um ano. O Rafael alega que a Universal procurou ele para fazer uma edição especial de 25 anos do CD “Guarda Costas” da W.H, e que eles queriam que a artista deles, que foi a vencedora do The Voice, Milena Jardim, fizesse essa edição especial do “Guarda Costas”. É meio contraditório, porque ao mesmo tempo que eles dizem que ela vai fazer a edição especial, cantando as músicas do filme, nas redes sociais o Rafael já colocou ela cantando uma música do primeiro disco da WH, então ela vai estreia agora dia 10 de dezembro no Teatro Net em São Paulo, cantando o repertório que eu canto. Pra mim ele fala uma coisa, nas redes sociais ele coloca outra. Então eu sinceramente, nem sei mais diz ser eu estou ou não, porque as águas estão indo para um riacho diferente, então eu não vou saber responder essa pergunta, porque não eu sei como está a minha participação dentro do musical.

Realmente, é quase impossível negar que um dos seus maiores pontos forte é com certeza o seu vocal. Quais são suas dicas e quais os cuidados você costuma tomar em relação à sua tonalidade?

Eu procuro cuidar bastante da minha saúde com a minha preparadora vocal e fonodiologa Tatiana Gomes, e ela me passa exercícios, diz o que eu tenho e o que eu não tenho que fazer, comer. A dica que eu dou é você cuidar e procurar fazer uma fonodiologia, ter um preparo vocal, porque é isso que encanta profissionalmente. Eu sou bem chata no quesito cuidar da voz.

Em qual artista você mais busca inspiração?

Eu busco inspiração no Michael Jackson, Rusheli Fuel, e estudo muita bossa nova, Elis Regina, Jhonny W, Trio Esperança, Leny Andrade, Tom Jobim, Vinícius, João Joberto… Essas são as minhas inspirações.

Entre os milhares de sucessos que já foram apresentado por você. Quais você considera como sendo seus favoritos?

Realmente milhares de sucessos. Acho que todos do Michael, da Whitney também, Steve H., Djavan, Elis Regina, Leny Andrade, esses.

Entre o fabuloso legado de Michael Jackson e a ilustre Whitney Houston. De qual lado você preferiria ficar?

Com certeza Michael Jackson.

Atualmente você trabalha ou tem planos para elaborar algum projeto com uma banda fixa?

A minha banda me acompanha desde o “Fama”, há 15 anos atrás. Faço shows pelo Brasil e pelo mundo com essa banda, agora projeto eu quero realizar meu sonho que é produzir algo relacionado a bossa nova e continuar com o black divas.

Qual você considera a sua maior realização?

A maior realização da minha vida são os meus filhos.

Sobre um momento que você tenha estipulado metas difíceis na sua vida. O que você fez para realizá-las?

Eu tive muita sorte em realizar coisas que eu achei difícil, como ganhar os programas que eu ganhei, o “Fama” e “Esse Artista Sou Eu”. O restante, tive algum alguns obstáculos, mais eu consegui realizar de boa. No quesito música, eu nunca tive muita dificuldade não.

Se pudesse escolher uma coisa para fazer todos os dias a partir de hoje. Qual seria sua melhor opção?

Se eu pudesse escolher uma coisa pra fazer todos os dias seria dançar. Eu adoro dançar, se eu pudesse dançar todos os dias ficaria bem feliz.

Sendo conhecida como uma cantora eclética quando o assunto é gêneros musicais distintos. Diga um ritmo que realmente você não acredite encaixar no seu perfil?

Sou bastante eclética sim! Porém, já mais me encaixaria no heavy metal, thrash metal. Tudo que é “metal”, eu não iria conseguir me encaixar não.

Qual é a sua maior expectativa para 2018?

Então, quero muito fazer meu projeto de bossa nova, continuar fazendo black divas e acho que vou gravar o meu EP no ano que vem, queria gravar ele agora esse ano, mais não consegui, mais pretendo muito gravar ele agora.

Qual é o seu objetivo na vida? Possui alvos a curtos e longos prazos já definidos?

O meu objetivo, o alvo que eu pretendo alcançar é me mudar para a Europa e viver lá com os meus filhos, cantar lá, em fim. Na Europa, onde as pessoas me dão mais valor que aqui.

Em você como cantora, o que acredita que ainda precise ser melhorado na sua carreira?

Eu como cantora, o que devo melhorar, acho que seria ter que voltar a fazer meu registro de flauta, que é uma coisa que eu quero muito e continuar estudando, vou continuar sempre estudando, porque eu não posso parar né? Sempre to aprendendo alguma coisa, falo que estou sempre engatinhando, sempre com alguma coisa nova para aprender.

Existem planos ainda em aberto para tentar apostar em uma carreira internacional um dia?

Sim. Quero minha carreira internacional o mais rápido possível. Essa é a minha maior meta.

Como você se define como pessoa? (Vanessa por Vanessa)

Vanessa por Vanessa?… Uma pessoa bem difícil, teimosa, infelizmente eu não tenho muita paciência (risos), chata, mas de um coração bom. Perdoou muito fácil e gosto de correr pelo certo. Detesto injustiça e adoro da risada. Eu amo dá uma risada!

Deixe uma mensagem para terminarmos.

Queria agradecer todo os fãs que perguntaram, que quiseram saber um pouquinho mais sobre mim. Obrigada por me apoiarem, por curtirem meu trampo, espero que em 2018 eu consiga realizar esses sonhos e que vocês estejam sempre comigo. Um beijo enorme dentro do coração de vocês. Fiquem com Jeová. Até mais!

O post Vanessa Jackson realça base familiar na carreira: “maior influência” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/15476-2/feed/ 0
Conheça a banda SuperToy, a novidade da Sony Music http://registropop.com.br/14880-2/ http://registropop.com.br/14880-2/#respond Thu, 02 Nov 2017 15:30:01 +0000 http://registropop.com.br/?p=14880

A banda SuperToy surgiu em meados do ano de 2009. O grupo foi criado pelo vocalista Lucas Nage, despertando o interesse de seu irmão, Vinicius Nage, que resolveu embarcar no projeto. Empolgado, Vinícius convidou para se unirem à banda: Sandro e Felipe. Com dois meses de existência e apenas um ensaio, a SuperToy realizou sua […]

O post Conheça a banda SuperToy, a novidade da Sony Music apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

A banda SuperToy surgiu em meados do ano de 2009. O grupo foi criado pelo vocalista Lucas Nage, despertando o interesse de seu irmão, Vinicius Nage, que resolveu embarcar no projeto. Empolgado, Vinícius convidou para se unirem à banda: Sandro e Felipe.

Com dois meses de existência e apenas um ensaio, a SuperToy realizou sua primeira apresentação com casa cheia, em um show da banda CINE, que comemorava sua premiação no VMB.

Atualmente a banda prepara o seu primeiro lançamento pela Sony Music: “Quando Ela Passar”.

Foto: Divulgação/Multiculturarte

Em entrevista ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, os integrantes, que têm entre 21 e 28 anos, falaram sobre o início da banda, músicas, expectativas e muitos mais. Confira:

Como surgiu o Supertoy?

LUCAS NAGE: Meu irmão, Vinicius, que hoje é Guitarrista e Beatmaker da Supertoy. Ele me viu cantarolando pela casa em 2009 e teve a ideia de montar o projeto junto com alguns amigos, inclusive um deles que teve a ideia do nome, Supertoy.

As canções da banda são todas escritas por vocês?

LUCAS NAGE: Todas que lançamos são nossas, mas nos shows a gente toca algumas músicas de outros artistas que gostamos, mas sempre fazemos com muito respeito nossas versões.

Vocês começaram em 2009 com 5 integrantes e hoje são 3. Isso fez o estilo mudar também?

VINICIUS NAGE: Sempre tivemos o “pezinho” na música POP e continuamos assim, não houve mudança na proposta. Como qualquer músico, com o tempo amadurecemos, isso na linha musical e também na composição. A mudança e evolução não veio com a redução de integrantes, ela veio com o passar do tempo e a nossa dedicação a carreira. O fato de sermos um trio hoje não muda a possibilidade de levar mais músicos para o show também. Gostamos dessa vibe banda, mas confesso que com três cabeças pensando é mais fácil tomar decisões.

Como foi a experiência de participar do SuperStar, na Globo? Muita coisa mudou a partir daquele ponto?

RAMON SANTOS: A experiência com a TV foi muito legal! A pressão de uma disputa e toda a seletiva nos fez amadurecer. Acho que muitas coisas mudaram após o programa. Invadir a casa das pessoas pela televisão traz visibilidade, mas continuamos batalhando da mesma forma. Não ficamos esperando as coisas caírem do céu por ter participado do programa.

Vocês assinaram com a Sony Music recentemente. O que o público pode esperar desta nova fase?

VINICIUS NAGE: Qualquer artista que assina com uma multinacional ganha mais visibilidade. Estamos muito felizes por estar na Sony Music, uma empresa que lançou artistas como Michael Jackson, Mariah Carey, e aqui no Brasil Lulu Santos, Skank e outros. Com a Sony vamos ganhar mais força na distribuição digital e muito conteúdo na internet.

Quais as principais influências musicais de cada componente?

LUCAS NAGE: Shawn Mendes, Ed Sheeran, Maroon5 , The Script.

VINICIUS NAGE: Country, Pop, Rock como Hunter Hayes, Ed Sheeran, Maroon5, Justin Bieber. Sou eclético, mas atualmente estou ouvindo isso.

RAMON SANTOS: Nacional eu tenho muitas influências como Froid, Haikaiss, 3030. Na parte internacional gosto bastante de Blackbear, G-Eazy, uns sons mais R&B.

E o apoio da família, sempre existiu?

RAMON SANTOS: Em todos os momentos, tanto a minha, como a deles.

Todos são solteiros? Como é o assédio dos fãs?

LUCAS NAGE: Todos solteiros. Amamos nossos fãs e levamos numa boa as brincadeiras e o assédio das meninas e meninos que acompanham nosso som.

Se não fossem músicos, o que seriam?

LUCAS NAGE: Eu seria fonoaudiólogo, gostaria de cuidar de crianças com Síndrome de Down.

VINICIUS NAGE: Eu se não fosse guitarrista da banda, gostaria de estudar arquitetura ou engenharia.

RAMON SANTOS: Acredito que jogador de futebol. Na verdade eu estava neste caminho, mas a música falou mais forte.

O post Conheça a banda SuperToy, a novidade da Sony Music apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/14880-2/feed/ 0
Ana Júlia Souza revela maior medo: “violência das grandes cidades” http://registropop.com.br/14778-2/ http://registropop.com.br/14778-2/#respond Wed, 01 Nov 2017 00:00:21 +0000 http://registropop.com.br/?p=14778

Ana Júlia Souza faz sucesso nas telinhas desde o início da sua carreira, quando tinha apenas 5 anos. Atriz e apresentadora, ela ficou bastante conhecida entre 2014 e 2016 no comando do “Bom Dia e Companhia”, no SBT. Em entrevista ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, ela falou um pouco sobre seus planos para […]

O post Ana Júlia Souza revela maior medo: “violência das grandes cidades” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Ana Júlia Souza faz sucesso nas telinhas desde o início da sua carreira, quando tinha apenas 5 anos. Atriz e apresentadora, ela ficou bastante conhecida entre 2014 e 2016 no comando do “Bom Dia e Companhia”, no SBT.

Em entrevista ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, ela falou um pouco sobre seus planos para o futuro e revelou alguns detalhes da sua história na televisão, do Paraná até São Paulo.

Como e quando foi que você seguir a carreira artística? Em qual momento você acha que seu trabalho começou realmente a ser conhecido pelo público?

Em 2011, quando tinha 5 anos, fui convidada para ser repórter mirim de uma emissora de Londrina. Daí em diante percebi que era o que queria pra mim, que realmente me sentia muito feliz em poder estar em frente às câmeras, num estúdio de tv.
Meu trabalho começou a ser reconhecido pelo público ainda no Paraná, mas ganhei mais visibilidade mesmo quando entrei no SBT.

Como você se define como pessoa?

Eu me defino como uma criança que quer muito vencer na vida. Sou dedicada e grata por tudo que conquistei até aqui. Procuro sempre ouvir os conselhos dos meus pais e sei que como artista a essência de tudo é a humildade e dedicação, sei que tenho que buscar meus objetivos sempre respeitando o próximo.

Qual é o seu maior sonho para o futuro?

Meu maior sonho para o futuro é poder estudar e continuar atuando na área artística.

Foto: Criativy Estúdio/Divulgação – RM Assessoria de Imprensa
Se pudesse dar uma dica para alguém que deseje iniciar-se no meio, qual seria?

Sempre digo que para entrar precisa ter muita humildade, dedicação e nunca desistir dos sonhos. As vezes uma porta se fecha, mas Deus abre várias na sequência, sempre com fé que ele tem sempre o melhor para nós.

Sobre seus looks, quem escolhe e em que você busca inspiração?

Bom, meus looks eu escolho junto com minha mãe. Ela sabe meus gostos, então está sempre com roupas lindas para eu escolher. Não me inspiro em alguém especificamente. Sigo minhas preferências e procuro me sentir bem.

Se pudesse apagar ou voltar atrás e algum momento da sua vida, qual seria?

Não tem nada que eu apagaria da minha vida. Nem sempre as coisas acontecem da forma que esperamos, mas não apagaria nada mesmo.

Qual o maior mico que você lembra de ter passado?

Olha… micos sempre acontecem, mas teve um episódio no “Bom Dia & Cia”, que na empolgação da música que estava tocando, acabei caindo no palco (risos). Esse foi um dos muitos.

Foto: Criativy Estúdio/Divulgação – RM Assessoria de Imprensa
Ainda no SBT, tem vontade de fazer alguma novela?

O SBT é uma emissora superfamília, muito acolhedora. Tenho muitos amigos lá e com certeza quero fazer muitas coisas, inclusive novelas.

Como é conciliar estudos e trabalho?

É bem tranquilo, sempre estudo em um período e trabalho em outro, o colégio que eu estudo é muito legal tem um ensino de qualidade e minhas notas estão sempre boas.

Qual você considera o seu maior medo?

Meu maior medo está em torno da violência das grandes cidades.

No esporte, quais são suas preferências? E a torcida, é qual?

Gosto muito de jogar handebol, vôlei, e meu time de coração é o Corinthians.

Para o futuro, pensa em algo fora da TV?

Não me vejo fazendo outra coisa que não seja relacionado ao meio artístico ou televisão. Quero estudar jornalismo, rádio e TV, artes cênicas, para sempre estar envolvida com a televisão.

Foto: Criativy Estúdio/Divulgação – RM Assessoria de Imprensa
Um lugar que seja seu favorito?

Gosto muito de estar com minha família que moram no Paraná, mas o palco é meu favorito, apresentando programa ao vivo eu me divirto muito.

Em relação aos seus fãs, qual significado eles têm hoje na sua vida?

Meus fãs significam muito para mim. É vendo o carinho deles que me motivo a querer sempre mais. Cada comentário, cada mensagem de carinho, vejo pessoas que saem de suas casas para me acompanhar num evento e quando chegam perto de mim ficam emocionados. Isso faz toda diferença, sem eles eu não teria motivos para estar no meio.

Mensagem para os leitores:

Quero agradecer por todo carinho, pela entrevista, por sempre estarem me acompanhando e dizer que quero que papai do céu ilumine o caminho de cada pessoa que gosta do meu trabalho, que torce por mim, que nunca desistam dos seus sonhos, e que Deus abençoe cada um!

O post Ana Júlia Souza revela maior medo: “violência das grandes cidades” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/14778-2/feed/ 0
Ana Flávia Cavalcanti comenta projeto “A Babá Quer Passear” http://registropop.com.br/14682-2/ http://registropop.com.br/14682-2/#respond Mon, 30 Oct 2017 02:14:29 +0000 http://registropop.com.br/?p=14682

Além de integrar o elenco de “Malhação – Viva a Diferença”, a atriz paulista Ana Flávia Cavalcanti lidera o projeto “A Babá Quer Passear”, em que performa de forma provocativa o a invisibilidade aos empregados domésticos no Brasil. Nas ruas de São Paulo e do Rio de Janeiro, ela sente na pele a reação das […]

O post Ana Flávia Cavalcanti comenta projeto “A Babá Quer Passear” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Além de integrar o elenco de “Malhação – Viva a Diferença”, a atriz paulista Ana Flávia Cavalcanti lidera o projeto “A Babá Quer Passear”, em que performa de forma provocativa o a invisibilidade aos empregados domésticos no Brasil.

Nas ruas de São Paulo e do Rio de Janeiro, ela sente na pele a reação das pessoas em uma ação um tanto quanto provocativa. Em entrevista ao colunista Luca Moreira do Registro POP, a artista deu detalhes desse projeto, apresentou seu ponto de vista sobre o tema e contou como acontece o surgimento dessa mobilização.

Foto: Divulgação/Camila Rolim – V!ra Comunicação

Como é interpretar uma personagem de caráter tão forte como a diretora Dóris em “Malhação”?

A Doris é uma personagem muito incrível. Ela tem essa força, essa garra, essa determinação em prol de uma causa, na minha opinião a maior causa: que é a educação pública de qualidade.

A Maria Carolina de Jesus disse: a arte mais forte do mundo é a inteligência.

E a escola é o melhor lugar para praticar, desdobrar, ampliar e dividir inteligência.

Sobre a criação do “A Babá Quer Passear”, de onde veio a ideia e o conceito do projeto?

A ideia surgiu em um sonho. Sonhei com um carrinho de bebê gigante cor de rosa e somei a isso minha total indignação ao fato de quase sempre serem mulheres e homens negros nas funções de serviçais. Seja como babá, diarista, porteiro, manobrista, garçom, cozinheiro, varredor de rua.

Quase sempre são pessoas negras. O que evidencia a manutenção da herança escravagista que ainda praticamos no Brasil .

Acredita que o enredo que você está vivendo na “Malhação” tenha influenciado também a ideia do projeto?

Não. São dois temas muito pertinentes, urgentes e que precisam ser debatidos na nossa sociedade. A educação pública e o empregado doméstico no Brasil.

Mas são abordagens completamente diferentes. A Malhação é uma novela da Rede Globo que tem um alcance enorme e a performance é meu trabalho de formiguinha, ali no dia-a-dia tentando abrir espaço pro diálogo.

Foto: Reprodução/Instagram

Como você avalia a situação atual do empregado doméstico no Brasil?

A situação atual do trabalhador como um todo é degradante. Estamos perdendo direitos trabalhistas conquistados com muita luta. E a última notícia que nos chega é que os deputados, os senadores e o próprio presidente estão tentando relaxar as punições das leis que proíbem o trabalho escravo.

Sério! Se por um lado me sobram forças para lutar, por outro eu me sinto vivendo no final do século XVIII tamanho são os retrocessos.
Eu aqui querendo discutir as condições de trabalho, a remuneração, o contato, a proximidade dos empregados domésticos e me chega essa notícia de trabalho escravo! Entende?

Sobre respeito, eu acho importante a gente pensar em termos legais, porque se não os empregados domésticos vão ficar sempre à mercê de boa vontade, de ajuda. Quando a discussão deveria ser outra.

Na sociedade em que vivemos o respeito é uma conquista social atrelada a dignidade de vida, vamos falar em termos de melhores condições de trabalho e remuneração e aí o respeito vai acontecer. Não precisamos de ajuda, precisamos exercer nossos direitos.

Esses dois pontos são fundamentais para discussão de respeito.

Qual é o seu principal objetivo com esse seu projeto? Já tem mais gente trabalhando ao seu lado?

Eu quero abrir a discussão sobre o empregado doméstico, sobre a exaustiva carga horária x baixos salários, a segregação social imposta através de uniformes e espaços delimitados para babás em especial, e o fato de serem quase sempre pessoas negras nessas funções. Recebi um convite do Sesc Ipiranga para realizar a performance em SP no início do ano que vem.

Sobre sua personagem em “Malhação”, que tipo de público você espera conquistar com ela? Que mensagem você deseja passar?

Eu desejo me comunicar com todo mundo. Com quem tiver um tempinho e parar pra ver Malhação. Todas as pessoas me interessam, é verdade que Malhação tem um público bem jovem, mas isso tem mudado.

Essa temporada tem apresentado temas que são de interesse para a população como um todo.

Mensagem aos leitores:

Agradeço o espaço de troca. Acredito muito no diálogo, no debate. Pra mim é uma oportunidade muito boa poder expandir meus ideais, meus pensamentos e meu enorme desejo de viver em uma sociedade igualitária e sem racismo.

Foto: Divulgação/Camila Rolim – V!ra Comunicação

O post Ana Flávia Cavalcanti comenta projeto “A Babá Quer Passear” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/14682-2/feed/ 0
Ex-“Carrossel”, Ana Zimmermann revela inspiração em Glória Pires: “Amo” http://registropop.com.br/14319-2/ http://registropop.com.br/14319-2/#respond Mon, 23 Oct 2017 15:35:29 +0000 http://registropop.com.br/?p=14319

Artista falou sobre sua trajetória

O post Ex-“Carrossel”, Ana Zimmermann revela inspiração em Glória Pires: “Amo” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Nascida em Barretos em 2002, a atriz Ana Vitória Zimmermann, hoje aos 15 anos, é mais uma das inúmeras provas de que talento não é medido pela idade.

A artista se destacado em 2009 pela primeira vez nas telonas pela sua atuação no filme “É Proibido Fumar”, da diretora Anna Muylaert. Em 2011, retornou ao lado de Lázaro Ramos em “Amanhã Nunca Mais”.

Seu papel de maior sucesso foi no SBT em 2012, quando deu vida a Marcelina Guerra na novela “Carrossel”. Logo depois passou a apresentar o programa “Bom Dia & Cia” e o “Sábado Animado” ao lado do seu colega de elenco Matheus Ueta. Em 2014, reviveu sua personagem no primeiro filme da franquia e voltou às telonas em 2016 na continuação do longa-metragem.

Foto: Reprodução/Instagram
Em um bate-papo exclusivo com Registro POP concedido ao colunista Luca Moreira, Ana falou sobre sua trajetória e contou algumas de suas aspirações para o futuro. Confira:

Como e quando foi que você decidiu que gostaria de levar a arte como profissão?

Quando eu tinha dois anos e meio eu disse para minha mãe que iria trabalhar lá dentro e apontei para TV. Minha mãe quase desmaiou, pois quando eu tinha um mês de vida, Deus falou no ouvido dela que eu trabalharia no meio artístico. Ela não contou nem para o meu pai na época, ficou em silêncio com Deus, aí eu com 2/5 falo isso (risos).

Como você se define como pessoa? (Ana por Ana)

Sou uma pessoa muito conectada com Deus, muito amiga, defendo, sou justa, mas também sei isolar quem não gosto. É como se a pessoa nem existisse. Sou totalmente focada no meu futuro.

Como você define sua relação com seus fãs?

Sem meus fãs quem sou eu? Ninguém! Devo todo meu sucesso a eles – Amor eterno. Vontade de abraçar e agradecer cada um deles.

Qual é o seu maior sonho atualmente?

Meu maior sonho sempre foi ter um instituto para ajudar as crianças e adolescentes a estudar e encontrar seu dom. Um lugar para cuidar das pessoas carentes e idosos, e também ter um haras.

Foto: Reprodução/Instagram
E para daqui alguns anos, qual faculdade tem em mente?

Faculdade Julliart em Nova York.

Como estão seus planos como atriz? Podemos esperar algo de novo?

Novidades em breve não como atriz, mas como artista. Até final de novembro poderei falar para todos vocês.

Um dom que descobri na novela e que fui convidada a trilhar esse novo projeto. Estou amando e creio que todos os meus fãs irão amar.

Como você se imagina daqui a 10 anos?

Me imagino realizando os sonhos das pessoas, realizada com meus sonhos de hoje e sonhando a cada dia mais, porque o sonho não pode acabar senão a vida perde a cor.

Quais são suas inspirações na vida e na carreira?

Amo a Gloria Pires, tive a oportunidade de fazer um filme com ela, me inspira muito. Na minha vida, são meus pais.

Na sua opinião, qual foi a maior experiência de aprendizado que você acredita que a Marcelina trouxe para sua vida?

A Marcelina tem tudo da minha personalidade. Sou superprotetora, só não sou tão bobinha como ela de acreditar em todos.

Como é sua relação com elenco de “Carrossel” hoje? Ainda são amigos?

Esse meio não é fácil. Tem muitas pessoas falsas, existem muitas pessoas inimigas delas mesmas (risos). Mas ainda tenho amigos maravilhoso da novela.

Foto: Reprodução/Instagram
Na sua última aparição no cinema, você deu vida a Marcelina pela última vez no ano passado. Existem novos projetos andando também para as telonas?

Para as telonas, não tenho nada por enquanto.

Sobre o casal de amigos “Jolari”. Qual a sua opinião sobre o relacionamento deles?

Na verdade, nem acompanho apesar de ser amiga da minha linda Larissa. Desejo a ela muitas felicidades na vida sentimental.

Deixe uma mensagem.

Quero agradecer a Deus e a cada um de vcs que me acompanham e torcem por minha vitória.

Obrigada meus amores! Amo vocês do fundo do meu coração.

Foto: Reprodução/Instagram

O post Ex-“Carrossel”, Ana Zimmermann revela inspiração em Glória Pires: “Amo” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/14319-2/feed/ 0
Rafaella Maia sobre evolução como atriz: “objetivo e foco de vida” http://registropop.com.br/rafaella-maia-sobre-evolucao-como-atriz-objetivo-e-foco-de-vida/ http://registropop.com.br/rafaella-maia-sobre-evolucao-como-atriz-objetivo-e-foco-de-vida/#respond Mon, 16 Oct 2017 22:47:27 +0000 http://registropop.com.br/?p=13923

Modelo e atriz, Rafaella Maia iniciou sua carreira artística em 2011 e é figura de destaque no cenário da publicidade. Em 2014, obteve quatro classificações em um concurso tanto municipal, estadual, nacional e universo, figurando como primeira brasileira adolescente a conquistar esse título. Além de inúmeros catálogos e campanhas para grifes, Rafa também coleciona diversos […]

O post Rafaella Maia sobre evolução como atriz: “objetivo e foco de vida” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Modelo e atriz, Rafaella Maia iniciou sua carreira artística em 2011 e é figura de destaque no cenário da publicidade. Em 2014, obteve quatro classificações em um concurso tanto municipal, estadual, nacional e universo, figurando como primeira brasileira adolescente a conquistar esse título.

Além de inúmeros catálogos e campanhas para grifes, Rafa também coleciona diversos trabalhos como atriz. Ela atuou em peças como “Grease” (2011), “Malévola” (2011), “Peter Pan” (2012), “O Príncipe e o Sapo Macuaíma” (2013) e “O Mágico de Oz” (2013).

Em entrevista ao Registro POP concedida ao colunista Luca Moreira, a artista contou um pouco sobre sua jornada, falou sobre seu dia-a-dia e como concilia a carreira artística com a vida na escola e fora das câmeras.

(Foto: Divulgação/RM Assessoria de IImprensa)
Quando e como foi que você decidiu que gostaria de levar a carreira artística como sua profissão? Como foi a reação dos seus pais quando você comentou sobre sua vontade?

Desde pequena sempre quis ser artista todas minhas brincadeiras eram referente a isso, com 6 anos comecei a fazer teatro na escola, curso extra e aos 12 anos pedi um agenciamento de presente a minha mãe.

Minha mãe sempre tentou mostrar outros caminhos a seguir mas não adiantou muito e agora ela é meu maior porto seguro que me acompanha em tudo, meu pai ainda não caiu a ficha e quer que eu seja uma juíza de direito, bem difícil hahaha meu coração é muito mole e nunca daria para essa profissão.

Você costuma seguir alguma dieta ou cuidado específico com sua saúde?

Olha eu sigo uma dieta equilibrada evitando gorduras, refrigerantes e doces procuro comer tudo integral e faço atividade física no mínimo 3 vezes na semana.

Quais são seus passatempos favoritos?

Amo muito estar com meus amigos ir a festas, cinemas ou até mesmo ficar em casa conversando, dividindo experiências.

Como você se ver daqui alguns anos? Tem planos em mente pra sua carreira no futuro?

Eu deixo a vida me levar, estudo muito arte, tv e cinema mas do futuro ninguém sabe, seja o que Deus escolher para minha vida e para minha felicidade, não adianta planejar pois o futuro a Deus pertence.

(Foto: Divulgação/RM Assessoria de Imprensa)
Qual é a sensação de você servir de exemplo e inspiração para o público jovem hoje em dia? A responsabilidade chega a pesar muito em você mesma?

Eu sou muito grata e feliz por tudo e pelo carinho de tantas meninas, mas nunca vi como um peso e sim como um presente e apenas agradeço a Deus e a todas as fãs e a tudo que vêem acontecendo em minha vida, todos os dias por isso.

Se não fosse atriz e modelo, o que você acha que estaria tentando fazer hoje?

Não me vejo fazendo outra coisa, eu amo demais animais mas não consigo lidar com o sofrimento deles para poder ser uma veterinária e talvez estar estudando para isso.

Quem você mais te inspirou na carreira artista? Imaginava alcançar essa reconhecimento todo ?

Você sabe que não tenho nenhuma inspiração concreta porque tudo que aconteceu em minha vida foi sem planejar, como o concurso de Miss que cheguei até a última etapa e conquistei, nunca pensei em modelar, hoje modelo bastante e na TV e Cinema admiro muito o trabalho dos mais experientes tais como; Beth Faria, Fernanda Montenegro entre outras.

Em algum ponto da carreira, você já pensou em desistir?

Não nunca acho que sou muito nova e estou subindo degraus e tem muito a acontecer e nunca devemos desistir de nossos sonhos.

(Foto: Divulgação/RM Assessoria de Imprensa)
É difícil manter a vida de artista e ao mesmo tempo equilibrar a vida escolar e social com seus colegas? A amizade continuam as mesmas?

Eu agora estudo a noite esta bem mais tranqüilo, mas tudo é conciliável e fácil de lidar, e eu sou amiga até do poste hahaha então nunca estou só.

Como você se define como pessoa? (Rafaella por Rafaella)

De muita fé, sonhadora, fiel, amiga, insistente e apaixonada por animais e pela vida

Como você considera sua relação com seus fãs? Qual importância eles conquistaram hoje na sua vida?

Olha tenho uma relação maravilhosa e amo muito o carinho de todos e sou eternamente grata a eles sempre.

Atualmente seus trabalhos como atriz foram mais voltados ao teatro. Você tem planos para a televisão ou cinema?

Este é o meu objetivo e foco de vida, estudo para isso estou aguardando a vontade de Deus.

Deixe uma mensagem para seus fãs.

Eu amo todos vocês e sou grata por todo carinho e dedicação de vocês sempre em minha vida.

O post Rafaella Maia sobre evolução como atriz: “objetivo e foco de vida” apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/rafaella-maia-sobre-evolucao-como-atriz-objetivo-e-foco-de-vida/feed/ 0
Maitê Padilha: De volta a Gaby Estrella! http://registropop.com.br/13284-2/ http://registropop.com.br/13284-2/#respond Fri, 06 Oct 2017 22:01:55 +0000 http://registropop.com.br/?p=13284

Maitê Padilha chegou ao grande público com o sucesso de “Gaby Estrella”, em 2015, quando o canal infantil Gloob ainda estava no início. Hoje, está consolidada. Muito ativa e confiante no seu caminho como atriz, a namorada do também ator Rafael Gevú mostra que evoluiu muito desde da época como Gaby, tendo durante esse tempo investindo em outros […]

O post Maitê Padilha: De volta a Gaby Estrella! apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Maitê Padilha chegou ao grande público com o sucesso de “Gaby Estrella”, em 2015, quando o canal infantil Gloob ainda estava no início. Hoje, está consolidada.

Muito ativa e confiante no seu caminho como atriz, a namorada do também ator Rafael Gevú mostra que evoluiu muito desde da época como Gaby, tendo durante esse tempo investindo em outros projetos como o canal do casal no YouTube, o Entrenoses, além de ter atuado na primeira fase de “O Rico e o Lázaro”, na Record TV.

Neste ano a artista voltou a dar vida a Gaby, desta vez nas telonas. Ela falou sobre isso muito mais em entrevista ao colunista do Registro POP, Luca Moreira. Confira:

De onde veio a ideia de criar o canal Entrenoses?

A ideia veio inicialmente porque eu queria produzir um canal só do Rafael, a gente ama cinema e ele entende muito, então eu pensei: por que a gente não faz um canal seu, falando sobre cinema?

A gente foi desenvolvendo a ideia e quando viu já estávamos pensando em um canal juntos falando sobre coisas aleatórias. Acabou que a Globosat nos perguntou se gostaríamos de fazer um canal e alavancamos ainda mais o processo, hoje em dia estamos por nossa conta e por isso o canal deu uma pausa, estamos nos organizando, mas pretendemos voltar!

Nesse ano você está lançando seu primeiro filme nos cinemas baseado no seu primeiro papel como a Gaby. Qual foi a maior diferença pra você no cinema, comparado como seu trabalho na televisão?

Acho que senti bastante diferença na interpretação, desde o inicio falavam com a gente que as expressões e a interpretação em si deveriam ser menores já que a tela do cinema é enorme e uma coisa pequenininha fica gigante.

Além disso, a gravação é bem mais rápida mas não é tão corrida. Na TV temos um dia certo pra entregar o capítulo entao temos que gravar de qualquer jeito, no filme, apesar de termos gravado em um mês, senti mais tranquilidade!

Como você se define como atriz e como pessoa? (Maitê por Maitê)

Sou uma pessoa sonhadora e determinada. Gosto muito de sonhar as coisas pra mim e pro mundo e de correr atrás desses sonhos. Acho que é isso!

Foto: Maira Moraes

Como foi trazer sua personagem de volta dessa vez nas telonas?

Foi incrível, sou apaixonada pela Gaby e por todo o universo, e poder levar essa história incrível pro cinema está sendo uma grande honra! Estou muito ansiosa pra ver o que as pessoas vão achar!

Em sua opinião, qual é a maior dificuldade na carreira artística?

Acho que é aguentar a pressão. É um meio muito difícil, que mexe muito com o ego das pessoas, então acaba tendo muita competição, inveja, etc, além do fato de ser uma profissão muito instável, uma hora você está lá em cima com muitos trabalhos e no outro dia não lembram seu nome, por isso é importante você ter pré e bem estabelecido na cabeça a diferença de gostar da fama e gostar da arte.

Quando você entra nesse meio porque você gosta, pode ser difícil às vezes, como toda outra carreira, mas quando você entra visando a fama, se torna uma coisa muito frustrante.

Quando não está trabalhando, quais são seus maiores passatempos? Como é a Maitê que vemos fora das telas?

Amo cinema, juro, sou muito apaixonada, vivo indo com o Rafael e quando não podemos vemos em casa mesmo e odiamos ter filmes atrasados, (risos)!

Além disso, adoro brincar com minha cachorrinha e ficar com a minha mãe e minha família, acho que são as coisas que mais gosto de fazer. Sou uma pessoa bem tranquila, não sou muito de festas ou de sair, gosto de ficar em casa com um bom Netflix, um balde de pipoca, boa companhia e brigadeiro!

Foto: Maira Moraes

No começo da carreira foi difícil se adaptar ao reconhecimento do público? Esperava tanta repercussão assim?

Acho que não. Sempre foi uma coisa muito boa, as pessoas são sempre muito atenciosas e carinhosas e me deixam muito feliz. Óbvio que tem vezes que estou mais cansada ou chateada com alguma coisa, mas faço o meu melhor pra atender todos bem!

Acho que a gente nunca espera que seja tão bom quanto realmente é né? Eu planejava voltar pra Petrópolis quando acabasse de gravar e agora moro no Rio a 5 anos, tomou uma proporção bem maior do que eu imaginava.

Recentemente, você interpretou a 1ª fase da personagem Joana em “O Rico e Lazaro”. Como foi a experiência de fazer uma novela de época?

Foi INCRÍVEL! Aprendi horrores, o fato de ser uma novela em uma época diferente trazia formas de falar e agir completamente estranhas pra mim, e o fato de ser baseada em um período da Bíblia traz uma responsabilidade enorme. Foi uma grande honra participar da novela!

Em quem você mais se inspira? Sente algum estilo em comum com alguém?

Não sei se consigo escolher só um, trabalhei com muitos atores surreais de experientes e além de incríveis profissionalmente eram incríveis como pessoa também!

A Milena Toscano que eu fiz mais nova, o Paulo Figueiredo, o Marcos Breda, o Dudu Azevedo e muitos outros que eu posso citar um dia inteiro. Mas realmente tive muitas cenas com o Zé Carlos Machado que fez o Fassur, ele é um ator incrível, e uma pessoa sensacional! Eu amei conhecer ele e trabalhar com ele, aprendi muito! O Vitor Hugo também, que fez o Jeremias, se tornou um dos meus atores favoritos do Brasil, é impressionante o profissionalismo dele, além de ser uma pessoa fantástica!

Foto: Maira Moraes

E nos estudos, como fica manter tudo equilibrado? Sobra um tempinho pra você?

Me cobro bastante nos estudos, não gosto de tirar notas baixas. Às vezes perco aula por causa de algum trabalho ou por estar muito cansada, então tenho muita sorte de ter amigas que me passam toda a matéria, e eu procuro prestar bastante atenção na aula, assim preciso estudar o mínimo possível em casa!

Natural de Juiz de Fora (MG) como foi essa vinda para o Rio de Janeiro? Sente falta de Minas?

Foi uma mudança bem brusca, mas acabou sendo ótimo, na verdade, eu nasci em Juiz de Fora sim, mas me mudei pra Petrópolis com 1 ano de idade, mas visitava Minas bastante ainda, hoje em dia não consigo mais ir com tanta frequência, e sinto muita falta, meus avós moram em Leopoldina, e eu morei com essa minha vó a vida inteiro, e esse meu avô nos visitava todo final de semana, então ficar longe deles é bem difícil pra mim!

Em relação aos seus fãs, como você considera a sua relação com eles? São bem ativos?

Eles são incriveis, sério. Eles são muito presentes, ativos, carinhosos e compreensivos, eu sou uma pessoa um tanto desligada com redes sociais, e não to sempre postando a minha vida inteira, mas procuro conversar com eles pelo direct, responder os fc’s e deixar eles sempre a par da minha vida, são os melhores do mundo, sério!

Foto: Maira Moraes

Sobre seu relacionamento com o Rafael, hoje mais de 2 anos juntos: como é a vida de vocês como casal? O fato dos dois terem a mesma profissão ajuda em algumas situações?

É ótima, a gente é namorado, irmão e amigo, tudo numa relação só. A gente se dá super bem e queremos as mesmas coisas, nós dois somos mais caseiros e amamos cinema! É incrível ficar com ele, fico feliz demais.

Acho que ajuda sim, acaba que compreendemos mais um ao outro, sabe? As inseguranças e as exigências que vem com o nosso tipo de trabalho, mas a gente conversa muito e procura deixar tudo sempre muito claro, pra não haver mal entendido, funciona super bem, cofiamos muito um no outro!

Como e quando foi que começou o seu interesse pra seguir carreira como atriz?

Sempre quis, desde pequenina, sempre gostei de imitar meus personagens favoritos, criar personagens e interpretá-los, eu pegava as roupas do meu irmão e saia andando pela casa fingindo ser uma skatista, arrumava uma bolsa e ficava escondida no armário fingindo que tinha que fugir porque algo que estava atrás de mim, inventava varias historias pra brincar de interpretar e quando descobri que isso era uma profissão, não deu em outro, enchi o saco da minha mãe até ela me colocar numa aula de teatro, depois dali as coisas foram fluindo, descobrimos o trabalho das agências e me agenciei na Désir de Niterói. Eu fiz três testes, incluindo o do Gaby que foi o primeiro no qual eu passei, e quando recebi a notícia fiquei feliz demais!

Hoje em dia estou na Destaque Art, e a minha empresária é a Márcia Marbá, estou muito feliz com o que conquistei e procuro estudar e me aperfeiçoar para crescer, se Deus quiser, cada vez mais!

Mensagem para os fãs: Quero agradecer a todos que torcem por mim e pela minha carreira. Dizer que se você tem um sonho tem que correr atrás dele, porque fazer algo que ama nunca é perda de tempo! Obrigada.

Foto: Maira Moraes

O post Maitê Padilha: De volta a Gaby Estrella! apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/13284-2/feed/ 0
Sophia Abrahão avalia papel da música em sua carreira http://registropop.com.br/sophia-abrahao-avalia-papel-da-musica-em-sua-carreira/ http://registropop.com.br/sophia-abrahao-avalia-papel-da-musica-em-sua-carreira/#respond Mon, 25 Sep 2017 23:03:48 +0000 http://registropop.com.br/?p=12386

Sophia Abrahão é multi talentos. Ao lado de Otaviano Costa no “Vídeo Show”, ela realiza hoje seu sonho de ser apresentadora. Nascida em São Paulo, fez sua estreia na TV em 2007 como Felipe em “Malhação” e logo conquistou os corações de milhares de fãs. Mais tarde, passou a integrar o elenco do programa “Bicicleta e Melancia”, […]

O post Sophia Abrahão avalia papel da música em sua carreira apareceu primeiro em Registro POP.

]]>

Sophia Abrahão é multi talentos. Ao lado de Otaviano Costa no “Vídeo Show”, ela realiza hoje seu sonho de ser apresentadora. Nascida em São Paulo, fez sua estreia na TV em 2007 como Felipe em “Malhação” e logo conquistou os corações de milhares de fãs.

Mais tarde, passou a integrar o elenco do programa “Bicicleta e Melancia”, no Multishow. Entre 2011 a 2012, se destacou como Alice Albuquerque no fenômeno “Rebelde”, na Record. A novela rendeu uma banda além da ficção. Sophia rodou o Brasil ao lado de Chay Suede, Lua Blanco, Arthur Aguia e Micael Borges.

Em 2013, voltou para sua antiga casa: a Globo. Lá, atuou em folhetins como “Amor à Vida” e “Alto Astral”.

No cinema, foi convidada para dar vida a Tina no filme “Confissões de Adolescente” (2014), repetindo o papel que havia feito no teatral em 2010. Dirigido pelo consagrado Daniel Filho, o longa faturou R$ 26 milhões.

Foto: Divulgação/Alê Virgilio – Melina Tavares Assessoria

Em fevereiro de 2015, foi chamada para ser uma das quatro porta-vozes digitais da L’Óreal no Brasil. No mesmo ano, lançou um álbum musical auto-titular, que rendeu uma indicação ao Grammy Latino na categoria “Mejor Nuevo Artista”. Uma das músicas do CD, “Náufrago”, chegou a atingir o topo do iTunes Brasil e rapidamente tomou conta das playlists dos fãs.

Foto: Divulgação/Alê Virgilio – Melina Tavares Assessoria

Em entrevista exclusiva ao colunista Luca Moreira, do Registro POP, a artista falou sobre sua vida e carreira e revela passos mais “esclarecidos” sobre sua trajetória desde criança até os dias de hoje.

O que veio primeiro: atriz, cantora ou digital influencer?

Na verdade, a carreira de modelo veio antes de tudo. Comecei bem nova, aos 13 anos, fazendo campanhas e desfilando, inclusive, morei na China nesta época.

Como e quando foi que começou a sua carreira na área artística?

Como mencionei, iniciei minha carreira desde nova, como modelo. À época, participei de diversas campanhas e trabalhei fora do país, cheguei a morar na China. Depois disso, voltei para o Brasil para fazer curso de interpretação e foi quando surgiu a oportunidade de fazer Malhação. Daí em diante, fui me apaixonando cada vez mais pela profissão e, desde então, não parei mais. Tenho me dedicado muito a minha nova paixão que é apresentar. Tem sido muito especial receber o retorno do público, estou muito feliz e empenhada em oferecer o meu melhor.

Tendo morado em vários países como o Japão e ter trabalhado como modelo desfilando para marcas de importância em catálogos e comerciais. Como você vê hoje a oportunidade que teve de ter conseguido trabalhar fora? Faz bastante diferença no currículo?

São oportunidades grandiosas. Eu morei na China, na verdade, a cultura é linda e inspiradora. Viver isso foi muito importante e gratificante. Com certeza, faz diferença na vida e em qualquer currículo.

De um modo geral, sempre gostei de trabalhar. Tenho uma vontade muito grande de conquistar as minhas coisas e ter meu próprio espaço, isso foi o grande motivo do por que comecei a carreira tão jovem. A paixão por algo diferente surgiu quando comecei a fazer alguns trabalhos publicitários, ali vi o que queria. Depois de seguir com a carreira de modelo, me vi fazendo alguns cursos de interpretação e, no meio disso, consegui meu papel em ‘Malhação’. Foi então que me encantei pelas artes cênicas e não parei mais.

Foto: Divulgação/Alê Virgilio – Melina Tavares Assessoria

Com toda certeza, seus papéis como Felipa em “Malhação” e Alice na novela “Rebelde” da Record, foram os momentos em que mais cresceu sua popularidade. Que siguinificado esses personagens deixaram marcado hoje pra você?

Marcaram, e ainda marcam, muita coisa! Fazer parte de Malhação me deu a oportunidade de me enxergar na carreira de atriz e me apaixonei pela profissão. Já em “Rebelde”, tive o primeiro contato profissional com a música e com a dança, assim como o surgimento dos fã-clubes. São trabalhos muito importantes e que me fizeram crescer muito como artista.

Sua carreira como cantora também começou cedo na época da RBD. Qual o papel da música na sua carreira?

Eu sempre gostei de música e de cantar. Na verdade, faço tudo ouvindo música. Arrumo a casa, me arrumo… (risos). Hoje, a música é parte essencial da minha carreira. Eu transformo meus sentimentos em palavras, então compor também passou a fazer mais sentido para mim. Fora que meus pais sempre foram muito musicais também, nas reuniões em casa sempre tinha música de fundo.

Em 2014, lançou seu primeiro álbum solo e no mesmo ano publicou o livro “O Reino das Vozes Que Não se Calam” em homenagem aos seus fãs. Como foi o caso de ter lançado seu primeiro álbum separado da banda?

Foi um momento especial e muito planejado. Era uma maneira de dar continuidade à minha paixão por cantar.

O ano de 2016, foi um ano muito legal pra você com grandes realizações como sua turnê pelas capitais brasileiras, o Dança dos Famosos recebendo bastantes elogios do público, além de ter feito “A Lei do Amor”. Em comparação, como está sendo esse ano pra você?

O ano de 2016 foi realmente incrível. Eu só tenho a agradecer por tudo que aconteceu e está acontecendo comigo! E este ano continua sendo especial, foi minha estreia no Vídeo Show como apresentadora, e é uma área que estou amando e me dedicando muito. Espero que a maré continue assim!

Foto: Divulgação/Alê Virgilio – Melina Tavares Assessoria

Ainda ano passado, foi indicada ao Grammy Latino como melhor artista revelação. Como foi a sensação de ter seu trabalho reconhecido em uma cerimônia tão acalmada pelo público?

Fiquei muito feliz, mas a ficha demorou um pouco para cair (risos). A indicação ao Grammy sempre foi um sonho muito distante. Fui convidada para ser a embaixadora virtual do evento e já estava achando a coisa mais legal do mundo! Ser indicada foi uma enorme realização profissional e uma honra.

De atriz para apresentadora, hoje você se tornou a grande estrela da tão querida bancada do Vídeo Show junto com o apresentador Otaviano Costa. Como é o dia-a-dia lá trabalhando com ele e com a equipe do programa?

Sou muito feliz por ter essas chances de me expressar de tantas maneiras, então todas me completam e são especiais.

Aprendo muito com o Vídeo Show, é um aprendizado constante. A cada novo programa, uma nova descoberta. O ao vivo todo dia te ensina e te faz querer ser melhor a cada dia, tem sido muito especial o carinho e o retorno do público, é um programa que está muito tempo no ar, as pessoas me param na rua para comentar e falar sobre os quadros. E é muito divertido trabalhar com o Otaviano, Joaquim e toda a equipe do vídeo show.

Em breve também, está para lançar o álbum com uns estilos de músicas mais dançantes com direito a uma nova turnê. Como anda os preparativos pra esse novo produto? Poderia nos adiantar algumas curiosidades?

Foi e continua sendo preparação bem intensa e especial. Hoje eu consigo ousar mais no que produzo, não tenho tantas restrições e quis me jogar de verdade, sair da minha zona de conforto. Podem esperar um som bem bacana, estou montando um show cheio de swing e energia.

Como você se definiria como pessoa? (Sophia por Sophia)

É engraçado como muita coisa muda em pouco tempo. Hoje me vejo mais madura e mais certa do que quero e aonde quero chegar. A todo o momento passamos por mudanças em nossas vidas, tomamos decisões que mudam o curso de uma hora para outra. Há dois anos, eu tinha uma linha a seguir que fazia sentido. Hoje tenho outra, e sou muito grata por isso. Mudar é sempre bom! Descrevo essa fase atual como mais madura, maleável e clara. Estou com a minha carreira mais ampla hoje, posso atuar em áreas que sempre gostei e me aventurar um pouco mais.

Deixe uma mensagem para finalizarmos.

Obrigada pelo carinho e gostaria de aproveitar o espaço para deixar um beijo enorme para os meus fãs, os tirulipos.

O post Sophia Abrahão avalia papel da música em sua carreira apareceu primeiro em Registro POP.

]]>
http://registropop.com.br/sophia-abrahao-avalia-papel-da-musica-em-sua-carreira/feed/ 0