Registro POP

Band pagará R$ 10 milhões caso “Pânico” saia do ar

Tutinha, o dono do formato "Pânico" - (Foto: Divulgação)

A Band está ciente da condição para que deixe exibir o “Pânico” a partir da programação do final deste ano. Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o empresário conhecido como Tutinha e dono do formato, notificou a emissora sobre a possível quebra do acordo vigente e do desejo de continuar o contrato até o fim, previsto para 2019. Informações do jornalista Flávio Ricco.

Nesta semana, a notícia de que o canal deixaria de investir no programa caiu como uma bomba. Ocupando as noites do domingo e acumulando derrotas para uma atração parecida, só que na RedeTV!, o “Pânico” caiu num desgaste sem fim, tanto que seu fim foi comemorado pela maioria dos internautas, que criticam o humor forçado e situações desnecessárias que são exibidas.

A direção do canal quer colocar uma pedra no assunto o quanto antes. Alas da Band já dizem na possível decisão de acabar com o programa antes mesmo do fim do ano. Como o assunto, a partir de agora, envolve uma multa milionária por quebra de contrato, a questão do fim da atração deverá ser estudada com cuidado. A fase atual talvez não disponha de uma quantia tão alta para pôr fim ao “Pânico”.

Em seu lugar, é provável que sem nenhum formato pronto ou pensado para a vaga, a Band coloque no lugar uma nova sessão de filmes, que deverá aumentar ainda mais a quantidade de filmes exibidos num intervalo pequeno de tempo, algo não comum em outras emissoras.

Vale lembrar que essa decisão da emissora fez com que os diretores do “Pânico” se movimentassem para buscar um outro lugar. É certo que eles levem o formato para Silvio Santos, que deverá receber também a ideia de que o programa ocupe a faixa noturna dos sábados, que está menos competitiva, visto que a Record TV tirou o “Legendários” daquela faixa.

Recomendamos:

Comentário(s)

Curta-nos:

Siga-nos:

Siga-nos: